Diretor de Deadpool fará novo Exterminador do Futuro, com produção de James Cameron

Diretor de Deadpool fará novo Exterminador do Futuro, com produção de James Cameron

 

Conforme esperado, o cineasta James Cameron prepara o resgate da franquia “O Exterminador do Futuro”. Os direitos dos personagens serão revertidos para seu criador em 2019 – 20 anos após a venda original – , de acordo com o contrato de cessão. E a produtora Skydance aceitou o inevitável, antecipando uma parceria com Cameron para relançar a franquia. Segundo o site Deadline, Cameron topou e já abriu negociações com o diretor Tim Miller (“Deadpool”) para comandar o próximo longa da franquia, que ele vai produzir.

Cameron não teve envolvimento com os últimos três “Exterminador do Futuro”. Ele perdeu os direitos do filme numa disputa de seu divórcio com a atriz Linda Hamilton, intérprete de Sarah Connor nos dois primeiros longas, que os revendeu para o estúdio Carolco, já falido, e desde então os direitos tem ido de um lugar para outro. Recentemente, ele relançou nos cinemas “O Exterminador do Futuro 2” (1991) em versão 3D e IMAX, preparando terreno para a retomada das produções.

A produção está agora em fase de definir o roteirista. A busca é por um grande autor de ficção científica capaz de dar um novo rumo para trama.

O último lançamento, “O Exterminador do Futuro: Gênesis”, foi um grande fracasso e implodiu os planos da Skydance de lançar uma trilogia, prontamente cancelada após o resultado das bilheterias. Nos EUA, o desempenho foi considerado pífio, com faturamento de US$ 89 milhões. Graças ao sucesso na China, o filme chegou a US$ 440 milhões em todo o mundo. Mas isso não foi o suficiente para justificar os gastos – US$ 155 milhões apenas em produção.

Para completar, a critica odiou o filme, novamente estrelado por Arnold Schwarzenegger, que teve apenas 26% de aprovação na média apurada pelo site Rotten Tomatoes.

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna