Batman vs. Superman supera US$ 700 milhões de arrecadação mundial

Batman vs. Superman supera US$ 700 milhões de arrecadação mundial

 

“Batman vs. Superman: A Origem da Justiça” superou US$ 700 milhões de arrecadação mundial na terça-feira (5/4), apurou o site da revista Variety.

A marca, atingida antes que o filme completasse duas semanas em cartaz, faz de “Batman vs. Superman” a terceira maior bilheteria de 2016, logo atrás de “Deadpool” (US$ 753 milhões) e “Zootopia” (US$ 805 milhões).

Mesmo assim, há quem garanta que, apesar desse início avassalador, o filme não conseguirá entrar no seleto clube dos bilionários (filmes que arrecadaram mais de US$ 1 bilhão). A razão está na queda da arrecadação em sua segunda semana, de 68% em relação ao fim de semana inaugural. Foi um dos maiores desabamentos de um filme de super-herói já registrados, atrás apenas do fraco “X-Men Origens: Wolverine” (2009), que vazou 69% em sua segunda semana. Entretanto, o desempenho não representa a queda mais brusca de um blockbuster. “Transformers: A Vingança dos Derrotados” perdeu 73% do público em sua segunda semana e mesmo assim foi a segunda maior bilheteria de 2009, perdendo somente de “Avatar”. A própria Warner experimentou solavanco maior com seu campeão de ingressos vendidos, “Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2”, que caiu 72% antes de bater o recorde de faturamento do estúdio.

Analistas do mercado consideraram que filmes baseados em franquias populares costumam perder tração em sua segunda semana, devido ao grande número de ingressos adquiridos em pré-venda pelos fãs mais ansiosos. Como não caiu mais de 70% como nos casos mencionados e permanece em cartaz em muitos cinemas, a perda de público pode ser considerada normal e não deve virar motivo real de preocupação para a Warner.

“Não estamos preocupados com a queda”, disse, por sinal, o diretor de distribuição doméstica da Warner Jeff Goldstein ao site The Hollywood Reporter. “Estamos mais focados no total que atingimos. E nosso número global é gigantesco”.

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna