• Idris Elba - Melhor Ator Coadjuvante
  • Leonardo DiCaprio - Melhor Ator
  • Brie Larson - Melhor Atriz
  • Leonardo DiCpario e Brie Larson - Melhores Atores do ano
  • Alicia Vikander - Melhor Atriz Coadjuvante
  • Queen Latifah - Melhor Atriz de Telefilme ou Minissérie
  • Kevin Spacey - Melhor Ator de Série Dramática
  • Jeffrey Tambor - Melhor Ator de Série de Comédia
  • Viola Davis - Melhor Atriz de Série Dramática
  • Uzo Aduba - Melhor Atriz de Série de Comédia
  • Spotlight: Segredos Revelados - Melhor Elenco
  • Downtown Abbey - Melhor Elenco de Série Dramática
  • Orange Is the New Black - Melhor Elenco de Série de Comédia
  • Idris Elba - Melhor Ator de Telefilme ou Minissérie

Premiação do Sindicato dos Atores consagra a diversidade que falta ao Oscar

 

O Sindicato dos Atores dos EUA (SAG, na sigla em inglês) entregou seus prêmios anuais na noite de sábado, em Los Angeles. E além de sacramentar Leonardo DiCaprio e Brie Larson como os Melhores Atores do ano, respectivamente por “O Regresso” e o “Quarto de Jack”, alimentou a polêmica em torno da falta de diversidade do Oscar com o reconhecimento a Idris Elba como Melhor Ator Coadjuvante por “Beasts of No Nation”.

Nem Elba nem qualquer outro ator negro foram indicados ao Oscar. E isto fará com que, apenas pela segunda vez nesta década, os quatro vencedores individuais do SAG Awards não sejam repetidos na premiação da Academia. A única diferença anterior tinha sido na mesma categoria de Elba, quando Tommy Lee Jones (“Lincoln”) perdeu o Oscar para Christoph Waltz (“Django Livre”) em 2013.

A vitória nos SAG Awards dá amplo favoritismo a Leonardo DiCaprio na disputa da estatueta da Academia, após sair de mãos vazias em quatro ocasiões anteriores. E também repara a desatenção cometida contra Brie Larson, que já devia ter sido indicada por “Temporário 12” (2013), filmaço que teve como pecado ser uma produção indie, sem dinheiro para campanha de premiação. Ela não é uma revelação inesperada.

A sueca Alicia Vikander completou o quarteto premiado, como Melhor Coadjuvante por sua papel em “A Garota Dinamarquesa”.

A premiação do Sindicato também chamou atenção para a grande diferença de diversidade entre o cinema e a televisão dos EUA. Se há falta de bons papéis para atores negros em Hollywood, o mesmo não pode ser dito da TV. A maioria esmagadora dos premiados nas categorias televisivas do SAG Awards foram negros. Inclusive o próprio Idris Elba, que recebeu um segundo prêmio na noite, como Melhor Ator de Telefilme ou Minissérie pela produção britânica “Luther”.

Além dele, também foram premiadas Queen Latifah (“Bessie”), Uzo Aduba (“Orange Is the New Black”) e Viola Davies (“How to Get Away with Murder”), enquanto apenas dois atores brancos, Jeffrey Tambor (“Transparent”) e Kevin Spacey (“House of Cards”), tiveram seus desempenhos comemorados.

Ao contrário do Emmy, o SAG Awards não considera “Orange Is the New Black” dramático, o que lhe permitiu vencer o prêmio de Melhor Elenco em Série de Comédia. E a conquista é outro gol a favor da diversidade, pois não há nenhum elenco mais diversificado que o desta produção do Netflix. As produções do serviço de streaming, por sinal, foram as grandes vencedoras da noite, faturando nada menos que quatro troféus, mais que qualquer outro “canal” ou estúdio.

O prêmio de Melhor Elenco de Série de Drama ficou com “Downtown Abbey”, que exibiu sua última temporada, enquanto “Game of Thrones” e “Mad Max: Estrada da Fúria” confirmaram seu favoritismo nas categorias de dublês.

Considerado o principal prêmio do Sindicato, o troféu de Melhor Elenco de Cinema ficou com “Spotlight: Segredos Revelados”, drama jornalístico estrelado por Michael Keaton, Liev Schreiber, Rachel McAdams e Mark Rufallo, entre outros. Geralmente, o vencedor desta categoria sai como favorito ao Oscar de Melhor Filme. No ano passado, o vencedor foi “Birdman”, que também conquistou o Oscar, mas nem sempre isso se confirma, como ressaltam as vitórias sindicais de “Trapaça” (2013) e “Histórias Cruzadas” (2011), para ficar em exemplos recentes.

Vencedores do SAG Awards 2016

CINEMA

Melhor Ator
Leonardo DiCaprio, “O regresso”

Melhor Atriz
Brie Larson, “O quarto de Jack”

Melhor Ator coadjuvante
Idris Elba, “Beasts of No Nation”

Melhor Atriz coadjuvante
Alicia Vikander, “A garota dinamarquesa”

Melhor Elenco
“Spotlight: segredos revelados”

Melhor Equipe de dublês
“Mad Max — Estrada da fúria”

TELEVISÃO

Melhor Ator em série de comédia
Jeffrey Tambor, “Transparent”

Melhor Atriz em série de Comédia
Uzo Aduba, “Orange is the New Black”

Melhor Elenco de série de Comédia
“Orange is the New Black”

Melhor Ator em Telefilme ou minissérie
Idris Elba, “Luther”

Melhor Atriz em Telefilme ou minissérie
Queen Latifah, “Bessie”

Melhor Elenco de série dramática
“Downton Abbey”

Melhor Ator em série dramática
Kevin Spacey, “House of Cards”

Melhor Atriz em série dramática
Viola Davis, “How to Get Away With Murder”

Melhor Equipe de dublês
“Game of Thrones”

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna