Ron Howard culpa Os Últimos Jedi pelo fracasso de Han Solo

Ron Howard culpa Os Últimos Jedi pelo fracasso de Han Solo

 

O diretor Ron Howard voltou a abordar o fracasso comercial de “Han Solo: Uma História Star Wars” no Twitter. Ao responder a mensagem de um fã sobre as possíveis causas do fraco desempenho do filme, ele defendeu a produção, dizendo-se orgulhoso do resultado.

“Eu tenho orgulho de ‘Han Solo: Uma História Star Wars’ e o elenco e equipe trabalharam duro para dar aos fãs um novo acréscimo (à franquia)”, escreveu Howard. “Como diretor, me sinto mal quando pessoas que eu acredito que (e as pesquisas mostram) provavelmente vão gostar do filme não o vejam numa tela grande com um som de qualidade.”

“Tenho lido tantas teorias sobre o motivo de Han Solo não ter ido bem nas bilheterias — lamento dizer que alguns fãs de ‘Star Wars’ estão esnobando ‘Han Solo’ por ainda estarem aborrecidos com ‘Os Últimos Jedi’. Se for isso, estão perdendo e punindo um bom filme por algo que não é culpa dele”, completou.

Apesar de ter sido um grande sucesso de bilheteria, “Star Wars: Os Últimos Jedi” dividiu as opiniões do público. Enquanto a crítica aprovou o filme, que atingiu 91% no Rotten Tomatoes, a narrativa inspirou o que há de pior no fandom, dando origem a campanhas racistas e misóginas, que elegeram Kelly Marie Tran, primeira asiática a ter destaque na franquia espacial, como alvo de um ódio capaz de dar inveja na juventude nazista. De tanto sofrer ofensas, a jovem atriz até deletou seu Instagram.

Uma das teorias correntes para o fracasso de “Han Solo” leva em consideração justamente a pouca distância entre seu lançamento e a repercussão de “Os Últimos Jedi” – que chegou aos cinemas em dezembro.

Vale observar que “Han Solo: Uma História Star Wars” também agradou à crítica, com 71% de aprovação no Rotten Tomatoes. Mesmo assim, a expectativa do mercado é que o filme se torne o primeiro “Star Wars” a dar prejuízo – de pelo menos US$ 50 milhões para a Disney-Lucasfilm.

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna

Change privacy settings