Quentin Tarantino acrescenta Dakota Fanning, Damien Lewis e muitos outros em seu novo filme

Quentin Tarantino acrescenta Dakota Fanning, Damien Lewis e muitos outros em seu novo filme

 

O novo filme de Quentin Tarantino, “Once Upon a Time in Hollywood”, confirmou seu elenco de apoio.

A produção de época, que se passa em 1969 e aborda o assassinato da atriz Sharon Tate pelos seguidores de Charles Manson, acrescentou Dakota Fanning (série “The Alienist”), Damian Lewis (série “Billions”), Burt Reynolds (“Boogie Nights”), Timothy Olyphant (série “Santa Clarita Diet”), Luke Perry (série “Riverdale”), Emile Hirsch (“O Grande Herói”), Clifton Collins Jr (série “Westworld”), Nicholas Hammond (ele mesmo, o Homem-Aranha dos anos 1970), Keith Jefferson, Kurt Russell, Michael Masden e Tim Roth (quarteto de “Os Oito Odiados”).

A maioria não tem papéis conhecidos, mas Damian Lewis viverá o ator Steve McQueen, enquanto Fanning será Squeaky Fromme, uma discípula de Manson que tempos depois tentou assassinar o presidente norte-americano Gerald Ford. Curiosamente, o papel de Luke Perry se chama Scott Lancer, que era o nome de um personagem da série western “Lancer”, produzida durante o período enfocado.

Eles se juntam aos protagonistas Leonardo DiCaprio (“O Regresso”), Brad Pitt (“Guerra Mundial Z”) e Margot Robbie (“Eu, Tonya”). Os dois primeiros vivem um astro decadente de série western e seu dublê, enquanto a atriz viverá Sharon Tate.

A sinopse da Sony Pictures descreve o filme como “uma história passada em Los Angeles em 1969, no auge da era hippie de Hollywood. Os dois personagens principais são Rick Dalton (Leonardo DiCaprio), ex-estrela de uma série de western, e seu dublê de longa data Cliff Booth (Brad Pitt). Ambos estão lutando para manter as carreiras numa Hollywood que não reconhecem mais. Mas Rick tem uma vizinha muito famosa ao lado de sua casa… Sharon Tate.”

A estreia está marcada para 9 de agosto de 2019 nos Estados Unidos, quando o assassinato de Sharon Tate completará 50 anos.

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna

Change privacy settings