Pantera Negra será primeiro filme exibido nos cinemas da Arábia Saudita após mais de 35 anos

Pantera Negra será primeiro filme exibido nos cinemas da Arábia Saudita após mais de 35 anos

 

“Pantera Negra” foi o filme escolhido para abrir a primeira sala de cinema da Arábia Saudita, após mais de 35 anos de proibição de cinemas no país.

A projeção do longa do super-herói da Marvel vai acontecer nesta quarta (18/4) em Riad, capital da Arábia Saudita, com a inauguração de um complexo cinematográfico da empresa americana AMC Entertainment. A sala que exibirá o filme tem 620 assentos, que serão preenchidos por convidados do governo e vários nomes da indústria cultural do país.

Ao anunciar o encerramento da proibição aos cinemas em dezembro, o público árabe viu diversos teatros improvisando telas para projetar filmes aprovados pelo governo – a maioria, desenhos animados dos Estados Unidos. Mas só agora o país voltará a ter salas específicas para este fim.

O governo saudita prevê que o setor do cinema possa criar 30 mil postos de trabalho permanentes e mais de 130 mil temporários até 2030 no país, além de contribuir para o aumento do faturamento da indústria cultural saudita.

Entretanto, ainda não foi divulgado se homens e mulheres poderão se juntar na mesma sala, já que o reino saudita impõe normas de comportamento muito conservadoras, chegando a exigir a separação de pessoas por sexo nos espaços públicos. Considerando que a projeção acontece no escuro, o mais provável é que homens e mulheres tenham que assistir filmes em salas separadas.

Vale lembrar que as salas de cinema foram fechadas na Arábia Saudita nos anos 1980, justamente após o endurecimento das normas e a imposição de severas restrições às liberdades individuais, à cultura, ao lazer e a todas as manifestações artísticas.

A decisão das autoridades sauditas de dar licenças para abrir salas de cinema ocorre em meio a uma política de “abertura”, que vem sendo adotada desde junho, sob orientação do príncipe herdeiro Mohammed bin Salman, de apenas 32 anos. Um mês antes de anunciar mudanças nas regras rígidas do país, como a permissão para mulheres irem a estádios de futebol e dirigir carros, cerca de 40 príncipes, militares, ministros e empresários foram presos sob a acusação de corrupção, tirando do poder lideranças conservadoras que aconselhavam o rei Salman bin Abdulaziz Al Saud, de 82 anos.

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna