Oscar de Uma Mulher Fantástica impacta projeto de direitos transexuais no Chile

Oscar de Uma Mulher Fantástica impacta projeto de direitos transexuais no Chile

 

O cinema pode mesmo ajudar a mudar o mundo. Após a conquista do Oscar de Melhor Filme em Língua Estrangeira pelo chileno “Uma Mulher Fantástica” e a participação da atriz trans Daniela Vega na cerimônia de premiação, a presidente do Chile, Michelle Bachelet, impôs “suma urgência” a um projeto de lei que garante o reconhecimento jurídico de pessoas transexuais, como a protagonista do longa.

Não por acaso, Bachelet recebe nesta quarta-feira (7/3), no palácio presidencial de La Moneda, o diretor Sebastián Lelio e o elenco do filme, responsável por acender o debate sobre os direitos da comunidade trans no Chile.

“É uma rara coincidência que uma importante mostra de arte, como é o cinema, instale na agenda pública um debate que foi tremendamente anônimo de organizações de pessoas trans durante muitíssimo tempo”, ressaltou a porta-voz da presidência, Paula Narváez.

O sucesso do filme “significou um empurrão muito importante, já que pôs na discussão pública o tema e a necessidade de inclusão das pessoas trans”, acrescentou o ativista Rolando Jiménez, porta-voz do Movimento de Integração e Libertação Homossexual, para a agência France Press.

Na prática, isto significa acelerar a apreciação do projeto de identidade de gênero no Senado chileno. O projeto de lei entrou no Congresso em 2013 e foi aprovado pela Câmara de Deputados em janeiro. Com a decisão da presidente, ele deverá ser debatido no Senado ainda nesta semana, a última do governo de Bachelet, antes dela passar o cargo ao conservador Sebastián Piñera.

“O crescente consenso de que o Chile tenha uma lei de identidade de gênero deve se transformar em fatos concretos. Por isso, decidi dar suma urgência ao projeto que está em sua última etapa no Congresso. As pessoas transgênero não podem continuar esperando!”, escreveu Bachelet em sua conta de Twitter.

O projeto estabelece o direito à retificação do nome e do sexo no registro de adultos, quando estes não coincidem com a identidade de gênero.

Comente

Pedro Prado é cinéfilo, fã de séries e quadrinhos, fotógrafo amador e bom amigo da vizinhança.