Quadrinhos de Usagi Yojimbo vão virar série animada produzida por James Wan

Quadrinhos de Usagi Yojimbo vão virar série animada produzida por James Wan

 

O maior coelho samurai do mundo, Usagi Yojimbo, vai virar uma série animada, e o cineasta James Wan (de “Invocação do Mal” e do vindouro “Aquaman”) estará envolvido na produção. A revelação foi feita por Stan Sakai, criador do personagem de quadrinhos, em seu Twitter. Veja abaixo.

A saga de Usagi Yojimbo, um ronin (samurai sem mestre) do Japão medieval, começou em 1984 nos quadrinhos, em meio a muitas lutas de espadas, intrigas políticas, Yokais (fantasmas) e criaturas mitológicas. O detalhe é que os personagens das histórias de Sakai são bichos antropomórficos e não humanos como o – ironicamente chamado – Lobo Solitário, o ronin mais famoso que o precedeu nos quadrinhos.

A série animada será uma coprodução do estúdio francês Gaumont, a Atomic Monster (produtora de James Wan) e a Dark Horse Entertainment (divisão de mídia da editora que publica o personagem).

“Nós recebemos mensagens de fãs de todas as idades em todo o mundo que pediram para ver ‘Usagi Yojimbo’ em sua própria série de TV”, acrescentou Sakai, num comunicado. “Com a Gaumont, James Wan e sua equipe na Atomic Monster, e a Dark Horse Entertainment, temos o melhor talento criativo a bordo para trazer as aventuras que criei há mais de 30 anos”.

“Eu sou fã da série de quadrinhos de Stan há muito tempo e é uma honra ter a oportunidade de trazer esse personagem e o mundo rico que Stan criou para uma nova geração”, completou James Wan.

Apesar de nunca ter estrelado sua própria série, Usagi Yojimbo já apareceu na TV, em três produções animadas diferentes das “Tartarugas Ninja”. Mais recentemente, ele coestrelou um arco de três episódios de “As Tartarugas Ninja” da Nickelodeon em 2017.

Ainda não há canal ou previsão para a estreia da nova produção.

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna