Protagonistas de The Killing voltarão a se juntar na série baseada no filme Hanna

Protagonistas de The Killing voltarão a se juntar na série baseada no filme Hanna

 

Os atores Joel Kinnaman e Mireille Enos vão voltar a se juntar, após a ótima parceria na série “The Killing”. Mas desta vez serão inimigos. A dupla protagonizará a série baseada no filme “Hanna”, em produção para o serviço de streaming da Amazon.

O thriller de ação dirigido por Joe Wright em 2011 acompanhava a adolescente do título (vivida por Saoirse Ronan). Treinada desde pequena para ser uma assassina, ela era enviada em uma missão secreta por seu pai Erik (Eric Bana), que dá errado e a faz ser perseguida por uma implacável agente de um serviço de inteligência chamada Marissa (Cate Blanchett). A perseguição também a leva a se refugiar com uma família comum e a faz questionar quem realmente é.

Kinnaman vai viver o pai de Hanna e Enos será a oficial da CIA que a caça. Já a jovem protagonista será vivida pela inglesa Esme Creed-Miles (“Dark River”), em seu primeiro papel de protagonista. A intérprete original da personagem, Saoirse Ronan, disputa o Oscar 2018 pelo papel-título de “Lady Bird” – sua terceira indicação à premiação da Academia.

A participação de Kinnaman deixa em dúvidas seu retorno para a 2ª temporada de “Altered Carbon”, ainda não confirmada, mas inevitável após a série se tornar o primeiro sucesso de 2018 da Netflix.

A série é uma criação de David Farr, que coescreveu o roteiro do filme original, e deve se concentrar na jornada de Hanna enquanto foge da CIA e tenta desvendar a verdade sobre quem é.

Além de Farr, o produtor do filme, Marty Adelstein, também está envolvido na adaptação e assinou o comunicado do projeto.

“Estou muito feliz em revisitar essa história fantástica. ‘Hanna’ foi um dos destaques da minha carreira, e estou ansioso para ver esta história continuar com David Farr”, disse Adelstein.

A série de “Hanna” terá produção da NBCUniversal e ainda não possui uma previsão de estreia.

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna