Trailer nacional da animação Homem das Cavernas revela dublagem em “portunhol”

Trailer nacional da animação Homem das Cavernas revela dublagem em “portunhol”

 

A Paris Filmes divulgou o trailer dublado em português (há controvérsias) da nova animação de massinhas da Aardman Animation. “Homem das Cavernas” (Early Man) acompanha, como diz o título nacional, personagens de uma tribo pré-histórica, mas subverte as expectativas por não se passar na Idade da Pedra e sim muitos séculos depois, na Era do Bronze.

A trama acompanha as aventuras de Dug, guerreiro da última tribo das cavernas, que enfrenta o exército “moderno” do tirano Lord Nooth. Dono de um castelo e elefantes encouraçados, ele expulsa a tribo, mas, numa tentativa de retomar suas terras, Dug o desafia para uma batalha. Na verdade, um combate numa arena de gladiadores. Onde atletas vigorosos disputam ferozmente… futebol.

Dublado em inglês por Eddie Redmayne (“Animais Fantásticos e Onde Habitam”), o personagem ganhou voz de Marco Luque (“Altas Horas”) e outro nome no Brasil. Virou… Doug, bem “nacional”.

Os demais dubladores brasileiros não foram identificados, mas vale apontar que também inventaram uma nova língua para a produção: o portunhol. De forma inexplicada, os guerreiros de bronze trocam o sotaque francês da animação original por uma língua hermana. Vai ver porque as cores de seus uniformes de futebol são as mesmas da celeste uruguaia.

Quem for ver a versão dublada também não ouvirá as vozes de Tom Hiddleston (“Thor: Ragnarok”), Maisie Williams (série “Game of Thrones”), Timothy Spall (franquia “Harry Potter”) e Richard Ayoade (série “The IT Crowd”).

O filme tem direção de Nick Park, criador de “Wallace e Gromit”, “Shaun: O Carneiro” e diretor do divertido “A Fuga das Galinhas” (2000).

A estreia está marcada para 8 de fevereiro no Brasil, duas semanas após o lançamento no Reino Unido.

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna