Titans: Brenton Thwaites é Robin na primeira foto da série dos Novos Titãs

Titans: Brenton Thwaites é Robin na primeira foto da série dos Novos Titãs

 

A Warner divulgou a primeira foto da série “Titans”, baseada nos quadrinhos dos Novos Titãs. Ela traz o ator australiano Brenton Thwaites (de “Deuses do Egito” e “Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar”) vestido como Robin.

Thwaites será o segundo ator a viver o Menino Prodígio numa série, após Burt Ward nos anos 1960, mas outros três atores já interpretaram Robin no cinema – os dois primeiros ainda na década de 1940. O último tinha sido Chris O’Donnell, nos filmes “Batman Eternamente” (1995) e “Batman & Robin” (1997).

A imagem desfaz uma dúvida em relação à produção, que em seu release chamava o personagem central apenas de Dick Grayson, sem identificar se ele apareceria como o Robin original e fundador da primeira versão dos Titãs nas publicações da DC Comics, ou como sua segunda identidade, Asa Noturna, adotada durante a época dos Novos Titãs.

Com 28 anos, Thwaites é um pouco velho para viver o Robin de 13 anos (ou 16 anos, na revisão dos reboots) que formou a Turma Titã clássica. E para complicar de vez a cronologia, a atriz Lindsey Gort (intérprete da jovem Samantha Jones em “The Carrie Diaries”) entrou na série no papel da detetive de polícia Amy Rohrbach, a parceira de Grayson num arco da revista solo do Asa Noturna.

Segundo o a sinopse da produção, a história gira em torno de Dick Grayson, que sai da sombra de Batman para se tornar o líder de um grupo destemido de novos heróis, incluindo Estelar (Anna Diop, da série “24: Legacy”), Ravena (Teagan Croft, da novela “Home and Away”), Mutano (Ryan Potter, da série “Supah Ninjas”, do Nickelodeon), Rapina (Alan Ritchson, da série “Blood Drive”) e Columba (Minka Kelly, da série “Friday Night Lights”).

A “Turma Titã” original foi criada pelo roteirista Bob Haney em 1964, quando ele juntou Robin, Kid Flash e Aqualad, os parceiros adolescentes (então com 13 anos) de Batman, Flash e Aquaman, numa mesma aventura. Foi um sucesso e eles voltaram a se reunir mais duas vezes antes de decidirem formar um grupo de heróis adolescentes para combater o crime, adotando o nome “Turma Titã” (Teen Titans, no original).

Os Titãs clássicos também incluíram Ricardito e a Moça-Maravilha, que com o tempo viraram Arsenal e Troia, além de Lilith e outros menos famosos. Robin também mudou sua identidade para Asa Norturna nos anos 1980, quando a própria Turma Titã virou os Novos Titãs, numa fase em que a equipe trazia Ciborgue, Ravena, Estelar e Mutano. Mas as mudanças não acabaram ali. Quando novos membros deram origens a outras formações – e à Justiça Jovem – , a equipe original voltou a se reunir sob o nome simplificado de Titãs, o mesmo escolhido para a série.

“Titans” está sendo desenvolvida por Akiva Goldsman, após escrever o pior de todos os “Transformers” e transformar “A Torre Negra” num fiasco, em parceria com o produtor Greg Berlanti, responsável pelas séries de super-heróis da DC Comics na rede CW, e Geoff Johns, diretor da DC Entertainment e cocriador de “The Flash”.

A produção será a segunda tentativa de transformar os heróis juvenis da DC Comics em série. O canal pago TNT chegou a encomendar um piloto, mas acabou rejeitando o projeto no ano passado. O roteirista, por sinal, era o mesmo Akiva Goldsman.

Desta vez, a produção está sendo concebida para inaugurar a “Netflix” da DC Comics, um serviço de streaming só com produções dos quadrinhos da editora da Liga da Justiça.

Ainda não há previsão para a estreia da série ou do lançamento do serviço de streaming.

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna