Thogun Teixeira será tirado de filme após denúncias de estupro

Thogun Teixeira será tirado de filme após denúncias de estupro

 

O diretor de “A Volta”, Ronaldo Uzeda, decidiu retirar Thogun Teixeira do filme após o ator ser acusado de estupro e tentativa de estupro por uma camareira e uma assistente de figurino ao final nas filmagens do longa. Os nomes das duas estão sendo mantidos em sigilo.

“Pretendemos não continuar com ele no filme, até porque ele aparece em poucas cenas. Foi tudo muito recente, tudo aconteceu no último dia de filmagem. Nossa posição é tirá-lo do filme em apoio às vítimas”, disse o diretor em entrevista ao jornal O Globo.

O filme também inclui em seu elenco Tuca Andrada (novela “A Lei do Amor”), Guilhermina Guinle (novela “Êta Mundo Bom!”) e André Ramiro (“Tropa de Elite”) e tem estreia prevista para 2018. Com roteiro e direção de Uzeda (“Caminhos de Jesus”), “A Volta” conta a história de George (Andrada), que se torna justiceiro depois que sua mulher Bruna (Guinle) é assassinada e sua neta é sequestrada. Thogun era um dos seis integrantes da gangue de sequestradores.

Segundo Uzeda, as filmagens, todas feitas em Sorocaba, foram finalizadas em 22 dias, e o cronograma do projeto não foi paralisado. Atualmente, “A Volta” encontra-se em fase de montagem.

“Tudo aconteceu no último dia de filmagem e, assim que soubemos, achei melhor não continuar filmando (as cenas restantes). Não tinha mais clima, ficou uma situação muito chata. Eu fiquei bastante abalado”, contou o diretor.

Como a participação de Thogun foi pequena, Uzeda diz acreditar que a retirada do ator não irá prejudicar o lançamento do longa. Ele afirma que “A Volta” estará finalizado em seis meses.

“Para solucionar o problema, vamos suprimir as cenas com o Thogun, ou criar soluções no roteiro. Mas ainda estamos pensando na melhor forma de resolver isso”, ele explicou, afirmando que não teme represálias na distribuição do filme no futuro.

“Já começamos a abrir a conversa com as distribuidoras. Não acho que vou enfrentar dificuldades por causa do que aconteceu. Afinal, denúncias sobre assédio estão acontecendo no âmbito internacional (ele cita o caso de Kevin Spacey), e obviamente viria a ocorrer no Brasil também. Pena que aconteceu no meu filme”.

Comente

Pedro Prado é cinéfilo, fã de séries e quadrinhos, fotógrafo amador e bom amigo da vizinhança.