Sabrina, Aprendiz de Feiticeira vai virar série de terror na Netflix

Sabrina, Aprendiz de Feiticeira vai virar série de terror na Netflix

 

A Netflix encomendou a série “The Chilling Adventures of Sabrina”, uma versão de terror de “Sabrina, Aprendiz de Feiticeira”. O projeto estava em desenvolvimento na rede CW, mas a Netflix fez uma proposta que a WBTV (Warner Bros Television) não conseguiu resistir, dispensando a produção de piloto e contratando duas temporadas para começar. Cada temporada terá 10 episódios, três a menos que teria na TV aberta.

O responsável pelo projeto é Roberto Aguirre-Sacasa, criador de “Riverdale” e editor da Archie Comics, que novamente trabalhará com o produtor Greg Berlanti e o diretor Lee Toland Krieger, que dirigiu o piloto aprovado de “Riverdale”.

Originalmente, Sabrina faria parte do mesmo universo de “Riverdale”, mas com a mudança para a Netflix, não está claro se as duas séries ainda terão ligação. De todo modo, a Netflix também exibe “Riverdale” no mercado internacional.

A Sabrina da nova atração será bem diferente daquela vista nos desenhos animados dos anos 1960 e na série dos anos 1990 estrelada por Melissa Joan Hart. A produção trocará o tom de comédia adolescente, geralmente associada à personagem, por uma estética de terror, algo que Roberto Aguirre-Sacasa já introduziu em algumas publicações bem-sucedidas da Archie Comics – como “Afterlife with Archie” e, justamente, “The Chilling Adventures of Sabrina”.

O novo projeto reimagina a origem e as aventuras de Sabrina como uma história de horror, ocultismo e, claro, feitiçaria. Na trama, a protagonista luta para reconciliar sua natureza dupla – meio bruxa, meio mortal – e contra as forças do mal que ameaçam sua família e o mundo em que os seres humanos habitam.

A série deve estrear em 2018.

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna