Retorno de Agents of SHIELD encanta a crítica e rende melhor público da série em mais de um ano

Retorno de Agents of SHIELD encanta a crítica e rende melhor público da série em mais de um ano

 

A série “Agents of Shield” iniciou sua 5ª temporada com um novo desafio. E não se trata da mudança radical da trama, que colocou os personagens no espaço, mas de sua estreia em novo dia. A atração passou para as noites de sexta-feira, o dia em que as séries vão para serem canceladas nos Estados Unidos – uma vez que registram queda na noite da semana em que menos pessoas sintonizam TV.

E a missão foi cumprida. A estreia, com episódio duplo, foi assistida por 2,5 milhões de telespectadores ao vivo, com uma classificação de 0,7 na demo (a faixa demográfica de adultos entre 18 e 49 anos, mais relevante para os anunciantes). Trata-se da maior audiência da série em mais de um ano e um aumento significativo em relação ao final da temporada anterior, visto por 2 milhões em maio. A média da 4ª temporada foi 2,3 milhões e os mesmos 0,7 na demo.

A estreia de “Agents da SHIELD” pontuou melhor que os mais recentes episódios de “Once Upon a Time”, que também passaram a ser exibidos nas sextas pela ABC – registrando 2,2 milhões e 0,5 na demo – e a série da Marvel “Inhumans” – 1,9 milhão e 0,5 – exibida no mesmo horário e canal.

Para completar, todas as críticas publicadas nos Estados Unidos foram positivas, com alguns sites citando influências dos “Guardiões da Galáxia” e até de “Firefly”, a cultuada série espacial de Joss Whedon, co-criador de “Agents da SHIELD” com seu irmão Jed e sua cunhada Maurissa Tancharoen.

Trata-se de ótima notícia para os fãs da atração, que, segundo a revista Variety, só não foi cancelada na temporada passada por intervenção da Disney, proprietária da ABC, que considerou importante, do ponto de vista estratégico, manter uma série da Marvel em sua rede de TV.

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna