Críticos de Los Angeles elegem Me Chame por Seu Nome como Melhor Filme do ano

Críticos de Los Angeles elegem Me Chame por Seu Nome como Melhor Filme do ano

 

A Associação de Críticos de Cinema de Los Angeles divulgou os vencedores de sua premiação anual. E embora a temporada de distribuição de troféus mal tenha começado, a lista já assinala o surgimento das primeiras unanimidades. Assim como no Gotham Awards, a associação de Los Angeles considerou “Me Chame por Seu Nome” o Melhor Filme do Ano. Não só isso. O jovem Timothée Chalamet voltou a vencer como Melhor Ator.

“Me Chame por Seu Nome”, que tem produção do brasileiro Rodrigo Teixeira, ainda rendeu reconhecimento para o diretor Luca Guadagnino. O cineasta italiano dividiu com o mexicano Guillermo del Toro, de “A Forma da Água”, o prêmio de Direção.

O empate, na verdade, se estendeu ao número de prêmios dos dois filmes. “A Forma da Água” também conquistou três troféus. Os demais foram Melhor Fotografia, para Dan Laustsen, e Atriz, para Sally Hawkins.

Os Melhores Coadjuvantes foram Laurie Metcalf (por “Lady Bird”) e Willem Dafoe (“Projeto Flórida”). Jordan Peele foi saudado como Melhor Roteirista por “Corra”. E Jonny Greenwood, da banda Radiohead, levou o prêmio de Trilha Sonora por “Trama Fantasma”, sua quarta parceria com o diretor Paul Thomas Anderson.

Em resumo, prêmios para o cinema independente. Até uma produção indie venceu como Melhor Animação: “The Breadwinner”, desenho irlandês que desbancou “Viva – A Vida É uma Festa”.

Apenas dois filmes de estúdio entraram na lista: o blockbuster “Dunkirk” e a sci-fi “Blade Runner 2049”, com vitórias em categorias técnicas.

Para completar, a premiação também apontou convergência de opiniões em relação a Documentário e Filme em Língua Estrangeira. As produções francesas “Faces Places”, de Agnes Varda e JR, e “120 Batimentos por Minuto”, de Robin Campillo, são as que mais estão acumulando vitórias em suas categorias. Desta vez, o filme de Campillo empatou com o russo “Loveless”, de Andrey Zvyagintsev. São favoritos ao Oscar 2018.

Veja abaixo a lista completa dos favoritos da crítica de Los Angeles.

Melhores de 2017: Los Angeles Film Critics Association

Melhor Filme: “Me Chame por Seu Nome”
2º lugar: “Projeto Flórida”

Melhor Direção: Guillermo del Toro (“A Forma da Água”) e Luca Guadagnino (“Me Chame por Seu Nome”) – empate

Melhor Atriz: Sally Hawkins (“A Forma da Água”)
2º lugar: Frances McDormand (“Três Anúncios para um Crime”)

Melhor Ator: Timothée Chalamet (“Me Chame por Seu Nome”)
2º lugar: James Franco (“O Artista do Desastre”

Melhor Atriz Coadjuvante: Laurie Metcalf (“Lady Bird”)
2º lugar: Mary J. Blige (“Mudbound”)

Melhor Ator Coadjuvante: Willem Dafoe (“Projeto Flórida”)
2º lugar: Sam Rockwell (“Três Anúncios para um Crime”)

Melhor Animação: “The Breadwinner”
2º lugar: “Viva – A Vida É uma Festa”

Melhor Filme em Língua Estrangeira: “120 Batimentos por Minuto” (França) e “Loveless” (Rússia) – empate

Melhor Documentário: “Faces Places”
2º lugar: “Jane”

Melhor Roteiro: Jordan Peele (“Corra”)
2º lugar: Martin McDonagh (“Três Anúncios Para um Crime”)

Melhor Edição: Lee Smith (“Dunkirk”)
2º lugar: Tatiana S. Riegel (“I, Tonya”)

Melhor Design de Produção: Dennis Gassner (“Blade Runner 2049”)
2º lugar: Paul D. Austerberry (“A Forma da Água”)

Melhor Trilha Sonora: Jonny Greenwood (“A Trama Fantasma”)
2º lugar: Alexandre Desplat (“A Forma da Água”)

Melhor Fotografia: Dan Laustsen (“A Forma da Água”)
2º lugar: Roger Deakins (“Blade Runner 2049”)

Melhor Filme/Video Experimental: “Purge This Land”
Prêmio pela Carreira: Max von Sydow

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna