BaianaSystem mistura tudo num clipe com Titica, Margareth Menezes e eco do além

BaianaSystem mistura tudo num clipe com Titica, Margareth Menezes e eco do além

 

A banda BaianaSystem lançou novo clipe, que alarga seus horizontes musicais, no momento em que chama atenção no Rock in Rio. “Capim Guiné” centrifuga influências, combinando ritmos regionais, dub, rock, funk e kuduro, com uma levada que faz dançar e bater cabeças ao mesmo tempo.

A relação com o kuduro é reforçado pela participação de Titica, cantora transexual angolana, mas a música também traz Margareth Menezes para a roda de samba reggae. Uma colisão de influências tão grande quanto o sincretismo do clipe, que passa por referências de umbanda, cultura africana, índios brasileiros e muita dança. É místico até virar dub, eco do além.

O clipe impressionante tem direção de Filipe Cartaxo, responsável pela identidade visual da banda – as máscaras, as artes, os clipes – e de Filipe Bezerra. Os dois colaboraram também no ótimo clipe anterior da banda, “Invisível”.

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna