Refilmagens da Liga da Justiça são maiores e mais caras que o divulgado

Refilmagens da Liga da Justiça são maiores e mais caras que o divulgado

 

Qual será o tamanho da influência de Joss Whedon sobre o filme da “Liga da Justiça”? Enorme, segundo a revista Variety.

A publicação foi investigar boatos sobre a extensão das refilmagens do longa-metragem da Warner Bros., que estão sendo comandadas pelo diretor de “Os Vingadores”, após Zack Snyder optar por afastar-se da produção devido à morte da filha.

Supostamente, Snyder rodou todo o filme antes de passar o bastão para Whedon realizar filmagens adicionais durante duas semanas em Londres. Mas o prazo já foi superado há bastante tempo. E o orçamento investido neste período não pára de crescer, sendo bem maior que o estimado para esse tipo de produção.

As refilmagens de blockbusters costumam custar entre US$ 6 milhões e US$ 10 milhões e durar até 10 dias. Mas, segundo fontes da Variety, a produção de “Liga da Justiça” já gastou US$ 25 milhões com Whedon, com o objetivo de gerar mais cenas no tom de “Mulher-Maravilha”, que foi um enorme sucesso, e garantir que não se repita a decepção causada por “Batman vs. Superman”, comandado justamente por Snyder.

Detalhe: Whedon também escreveu as novas cenas.

O problema dessa abordagem é que o filme está monopolizando as agendas do elenco por mais tempo que o previsto, e isto já começou a criar conflitos com outros projetos. Esta é a grande crise do momento, pois o diretor está precisando fazer malabarismos e dividir as filmagens por grupos de intérpretes disponíveis, enquanto outros vão trabalhar em diferentes produções, voltando nas horas vagas para completar suas cenas na “Liga da Justiça”.

É o caso de Ezra Miller. O intérprete de Flash já começou a filmar a continuação de “Animais Fantásticos e Onde Habitam”. Por sorte, os sets são próximos e, como ambos os filmes são produções da Warner, o agendamento tem sido facilitado.

Jason Momoa também está trabalhando em outra produção da Warner, o filme solo de “Aquaman”. Mas aqui há um pequeno problema para ele alternar cenas entre as duas produções: o filme do super-herói marinho está sendo rodado na Austrália, do outro lado do mundo.

Os problemas de Cavill são ainda mais espinhosos. O sexto filme da franquia “Missão: Impossível” também atrasou e está fazendo com que ele vá e volte entre as duas produções. Mas não é só isto: seu personagem em “Missão: Impossível 6” usa um bigode, que a equipe de efeitos visuais de “Liga da Justiça” terá que remover digitalmente do rosto de Superman.

A Paramount, que produz “Missão: Impossível”, chegou a ameaçar processo por quebra de contrato se o ator raspasse o bigode antes do final das filmagens.

Apesar de toda essa trabalheira, Whedon não deverá receber créditos pela direção filme. Coisas do Sindicato dos Diretores dos Estados Unidos. Em compensação, poderá ser creditado como coprodutor e co-roteirista, além de receber um salário polpudo, é claro.

Há precedentes. Tony Gilroy foi creditado como roteirista de “Rogue One: Uma História Star Wars”, após fazer exatamente o que Whedon está fazendo – mas em sigilo.

As fontes da Variety ainda afirmam que o roteiro de Whedon é melhor que o anteriormente filmado, pois aprimora os diálogos dos personagens. O cineasta é realmente reconhecido por escrever diálogos memoráveis, e estaria criando várias passagens ao longo de todo o filme, para encaixar entre as cenas de ação filmadas por Snyder. Por isso, seu trabalho é tão demorado e impactará mais a produção que o informado.

A vontade de desconversar também é maior do que admitir que se trata de uma intervenção. Durante a Comic-Con, o elenco fez de tudo para minimizar a extensão do trabalho. “São filmagens pequenas”, disse Ray Fisher, que interpreta Ciborgue, antes de acrescentar: “Zack escolheu um grande diretor para ajudar a aprimorar o filme para nós”.

Comente

Pedro Prado é cinéfilo, fã de séries e quadrinhos, fotógrafo amador e bom amigo da vizinhança.