Planeta dos Macacos vence a guerra pelo 1º lugar nas bilheterias da América do Norte

Planeta dos Macacos vence a guerra pelo 1º lugar nas bilheterias da América do Norte

 

“Planeta dos Macacos: A Guerra” venceu a batalha pelas bilheterias dos Estados Unidos e Canadá em sua estreia, encarando de frente a competição de “Homem-Aranha: De Volta ao Lar”, que não conseguiu segurar-se no teto em sua segunda semana em cartaz.

O terceiro filme da franquia sci-fi da Fox arrecadou US$ 56,5 milhões em 4.022 salas de cinema (considere que o Brasil inteiro tem pouco mais de 3 mil salas…), praticamente repetindo a bilheteria do filme inaugural da trilogia, “Planeta dos Macacos: A Origem” (US$ 54,8 milhões em sua estreia, em 2011).

Apesar disso, também foi vítima do desgaste que tem acompanhado os lançamentos de continuações em 2017, rendendo bem menos que o capítulo anterior, “Planeta dos Macacos: O Confronto” (US$ 72,6 milhões em 2014).

Mas “A Guerra” saiu-se melhor que seus concorrentes, como “Transformers: O Último Cavaleiro” e “Piratas do Caribe: A Maldição de Salazar”, que tiveram desempenho desastroso nas bilheterias domésticas. A grande diferença entre o filme estreante e os anteriores foram as críticas positivas. O terceiro “Planeta dos Macacos” tem 94% de aprovação no site Rotten Tomatoes.

O lançamento no Brasil está previsto para 3 de agosto e o ator Andy Serkis, que interpreta Caesar, anunciou que virá ao país participar da divulgação.

“Homem-Aranha: De Volta ao Lar” ficou em 2º lugar com US$ 45,2 milhões, após uma queda de 61% na arrecadação em relação ao seu fim de semana de abertura – muito maior do que Sony e Marvel projetavam.

Por outro lado, em apenas 10 dias a produção já bateu a bilheteria doméstica de “O Espetacular Homem-Aranha 2”. Atualmente com US$ 208,2 milhões na América do Norte, o reboot ultrapassou o total de US$ 202,8 milhões alcançados pelo lançamento de 2014 ao longo de 16 fins-de-semana. Assim como “Planeta dos Macacos: A Guerra”, o filme do super-herói também é um sucesso de crítica, com 93% de aprovação no Rotten Tomatoes.

Além do blockbuster da Fox, a semana só teve outra estreia ampla, o terror “7 Desejos”, que decepcionou com US$ 5,5 milhões e uma abertura em 7º lugar. O pouco interesse do público pode ter sido reflexo das críticas negativas. Com apenas 20% no Rotten Tomatoes, a nova obra do diretor de “Annabelle” foi considerada pouco assustadora e sem originalidade.

A trama gira em torno de uma caixinha de música mágica, capaz de realizar desejos, que vai parar na mão de uma menina de 17 anos (Joey King, de “Independence Day: O Ressurgimento”). Não demora para ela descobrir que, a cada desejo concedido, deve pagar um preço terrível.

A estreia no Brasil está marcada para 27 de julho.

BILHETERIAS: TOP 10 América do Norte

1. Planeta dos Macacos: A Guerra
Fim de semana: US$ 56,5 milhões
Total EUA: US$ 56,5 milhões
Total Mundo: US$ 102,5 milhões

2. Homem-Aranha: De Volta para Casa
Fim de semana: US$ 45,2 milhões
Total EUA: US$ 208,2 milhões
Total Mundo: US$ 469,3 milhões

3. Meu Malvado Favorito 3
Fim de semana: US$ 18,9 milhões
Total EUA: US$ 187,9 milhões
Total Mundo: US$ 619,3 milhões

4. Em Ritmo de Fuga
Fim de semana: US$ 8,7 milhões
Total EUA: US$ 73,1 milhões
Total Mundo: US$ 96,2 milhões

5. The Big Sick
Fim de semana: US$ 7,6 milhões
Total EUA: US$ 16 milhões
Total Mundo: US$ 16,1 milhões

6. Mulher-Maravilha
Fim de semana: US$ 6,8 milhões
Total EUA: US$ 380,6 milhões
Total Mundo: US$ 764,8 milhões

7. 7 Desejos
Fim de semana: US$ 5,5 milhões
Total EUA: US$ 5,5 milhões
Total Mundo: US$ 5,5 milhões

8. Carros 3
Fim de semana: US$ 3,1 milhões
Total EUA: US$ 140 milhões
Total Mundo: US$ 222,9 milhões

9. Transformers: O Último Cavaleiro
Fim de semana: US$ 2,7 milhões
Total EUA: US$ 124,8 milhões
Total Mundo: US$ 517,2 milhões

10. The House
Fim de semana: US$ 1,7 milhão
Total EUA: US$ 23,1 milhões
Total Mundo: US$ 28,5 milhões

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna