Michael Bay reclama de quem usa computador para ver seus filmes criados em computador

Michael Bay reclama de quem usa computador para ver seus filmes criados em computador

 

O diretor Michael Bay e a atriz Isabela Moner estão no Brasil para divulgar “Transformers: O Último Cavaleiro”. Por sinal, a nova estrela da franquia completou 16 anos na segunda-feira (10/7) e foi recebida com “parabéns para você” na première nacional do filme, que aconteceu no Shopping Iguatemi, em São Paulo. “Os fãs brasileiros são os melhores”, ela disse, em um post compartilhado nas redes sociais.

Mas quem comandou as atenções na entrevista coletiva, realizada nesta terça (11/7) na capital paulista, foi mesmo Michael Bay. E não poderia ser diferente. Afinal, ele é responsável pela franquia desde o primeiro filme. E é tão identificado com os “Transformers” que aparece em mais fotos de divulgação que os próprios atores da produção.

Especialista em filmar explosões e cenas épicas, Bay aproveitou o encontro com a imprensa para reclamar de quem vê filmes em computadores e celulares, numa indireta para a Netflix. “É triste que os jovens estejam vendo cada vez mais filmes no computador. Eu acho que a indústria cinematográfica vai diminuir. Não irá acabar, mas essa é a realidade.”

Bay disse isso sem ironia. Mas a gente sabe que seus Transformers são totalmente feitos em computador. Além disso, os robôs-que-viram-carros-do-patrocinador compõem a franquia de pior qualidade narrativa já avaliada pelo site Rotten Tomatoes.

Mesmo assim, ele garante: “O cinema tem uma experiência compartilhada que é só dele, e por isso tento oferecer com esses filmes uma mistura de sensações com qualidade de som, de imagem, com um 3D que seja adequado, filmar com câmeras IMAX…”

Logicamente, o diretor não cita “um bom roteiro”. Para quê, tendo explosões para filmar em IMAX 3D?

Ele mesmo tem noção do que seus filmes não tem a menor qualidade artística. “Estou muito confortável com o que eu faço. São filmes para entreter as pessoas”, disse.

Entretanto, as pessoas começam a querer melhor entretenimento. Os blockbusters de maior bilheteria em 2017 foram os que tiveram melhor avaliação da imprensa. Com a inclusão das médias do Rotten Tomatoes em sites de venda de ingressos, a influência da crítica passou a ter impacto direto no resultado das bilheterias norte-americanas, e filmes mal-avaliados passaram a depender das bilheterias internacionais.

De forma significativa, “Transformers: O Último Cavaleiro”, com somente 15% de aprovação no Rotten Tomatoes, levou três semanas para arrecadar o que “Homem-Aranha: De Volta ao Lar” fez em três dias na América do Norte. Mas, graças ao mercado internacional, já se aproxima dos US$ 500 milhões mundiais.

A estreia nos cinemas brasileiros acontece no dia 20 de julho.

Comente

Pedro Prado é cinéfilo, fã de séries e quadrinhos, fotógrafo amador e bom amigo da vizinhança.