Críticas negativas afundam Emoji e Dunkirk mantém 1º lugar na América do Norte

Críticas negativas afundam Emoji e Dunkirk mantém 1º lugar na América do Norte

 

“Emoji – O Filme” conseguiu realizar uma façanha, ao se tornar a primeira animação de grande estúdio a ser repudiada de forma unânime pela crítica norte-americana. Com apenas 8% de aprovação no site Rotten Tomatoes, a produção da Sony foi maldosamente identificada pela imagem de um de seus personagens, Poop (um cocô), e seguiu descarga abaixo, rendendo bem menos que o esperado nas bilheterias.

O longa animado, que só chega no Brasil no final de agosto, abriu com US$ 25,6 milhões e não conseguiu superar o drama de guerra “Dunkirk”, que manteve o 1º lugar pela segunda semana seguida na América do Norte, com US$ 28,1 milhões.

Foi a primeira vez que um lançamento se manteve por duas semanas no topo desde a estreia de “Mulher-Maravilha”, no início de junho. A superprodução de Christopher Nolan já ultrapassou os US$ 100 milhões no mercado doméstico.

O 3º lugar ficou com “Girls Trip”, uma comédia para maiores sobre farra de mulheres, protagonizada por atrizes negras. O sucesso deste filme, que soma US$ 65,5 milhões em 10 dias, é inversamente proporcional ao fracasso da produção similar com atrizes brancas (e Scarlett Johansson) “A Noite É Delas”, que fez ao todo US$ 21,8 milhões e já saiu de cartaz. Estrelada por Queen Latifah (série “Star”) e Jada Pinkett Smith (série “Gotham”), “Girls Trip” não tem previsão de estreia no Brasil

O êxito de “Girls Trip” também realça o tropeço de “Atômica”, que abriu abaixo das projeções da Universal. Nem os 75% de aprovação da crítica ajudou o thriller de ação a atingir sua meta, somando nas bilheterias US$ 18,5 milhões. Apesar do orçamento ser baixo (US$ 30 milhões), o estúdio contava com um pouco mais de ímpeto para investir numa continuação. A decisão agora vai depender do desempenho internacional. A estreia no Brasil acontece em 31 de agosto.

Entre os lançamentos limitados, que não entraram no Top 10, o documentário “Uma Verdade Mais Inconveniente”, sobre o aquecimento global, teve a melhor performance, faturamento mais por tela que qualquer filme em cartaz no fim de semana.

A estreia ocupou apenas quatro salas. “Detroit”, o novo longa da diretora Kathryn Bigelow (“A Hora Mais Escura”), também teve uma performance de “blockbuster indie” em sua exibição em 20 telas. Ambos os filmes terão seu circuito ampliado nos próximos dias.

Mas vão demorar a chegar ao Brasil. A estreia nacional de “Detroit” está marcada para 7 de setembro, enquanto “Uma Verdade Mais Inconveniente” ficou apenas para 9 de novembro.

 
 

BILHETERIAS: TOP 10 América do Norte

1. Dunkirk
Fim de semana: US$ 28,1 milhões
Total EUA: US$ 102,8 milhões
Total Mundo: US$ 234,1 milhões

2. Emoji – O Filme
Fim de semana: US$ 25,6 milhões
Total EUA: US$ 25,6 milhões
Total Mundo: US$ 25,6 milhões

3. Girls Trip
Fim de semana: US$ 20 milhões
Total EUA: US$ 65,5 milhões
Total Mundo: US$ 67,5 milhões

4. Atômica
Fim de semana: US$ 18,5 milhões
Total EUA: US$ 18,5 milhões
Total Mundo: US$ 24,4 milhões

5. Homem-Aranha: De Volta para Casa
Fim de semana: US$ 13,4 milhões
Total EUA: US$ 278,3 milhões
Total Mundo: US$ 633,7 milhões

6. Planeta dos Macacos: A Guerra
Fim de semana: US$ 10,3 milhões
Total EUA: US$ 118,6 milhões
Total Mundo: US$ 224,5 milhões

7. Meu Malvado Favorito 3
Fim de semana: US$ 7,7 milhões
Total EUA: US$ 230,4 milhões
Total Mundo: US$ 819,2 milhões

8. Valerian e a Cidade dos Mil Planetas
Fim de semana: US$ 6,8 milhões
Total EUA: US$ 30,6 milhões
Total Mundo: US$ 30,6 milhões

9. Em Ritmo de Fuga
Fim de semana: US$ 4 milhões
Total EUA: US$ 92 milhões
Total Mundo: US$ 138,6 milhões

10. Mulher-Maravilha
Fim de semana: US$ 3,5 milhões
Total EUA: US$ 395,4 milhões
Total Mundo: US$ 786 milhões

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna