The Odd Couple, Pure Genius, Training Day e Doubt são oficialmente canceladas

 

A rede CBS oficializou os cancelamentos das séries “The Odd Couple”, “Training Day”, “Pure Genius” e “Doubt”. As quatro já estavam informalmente canceladas.

Única “veterana” da lista, a produção de “The Odd Couple” foi interrompida ao final da 3ª temporada. O Matthew Perry compartilhou a notícia em abril, em seu Twitter.

Remake de uma série clássica dos anos 1970, por sua vez inspirada no filme “Um Estranho Casal” (1968), a nova versão da história dos dois solteiros (Perry e Thomas Lennon) que dividem um apartamento nunca conseguiu emplacar uma boa audiência, exibindo apenas temporadas reduzidas – de 12 a 13 episódios – nos três anos em que esteve no ar.

Curiosamente, seus números seriam suficientes para garantir renovação em outro canal. A última temporada registrou média de 4,9 milhões de telespectadores. Infelizmente, a CBS, como líder de audiência, exige mais público que as demais emissoras para manter uma série no ar.

As outras três séries eram estreantes e tiveram seus destinos determinados com mais antecedência.

“Pure Genius” teve apenas 13 episódios exibidos, mas poderia até ser considerada um sucesso, com média de 5,3 milhões de telespectadores. Seu problema era o tipo de público que alcançava, marcando apenas 0,86 pontos na demografia-chave para os anunciantes (adultos de 18 a 49 anos).

Criação de Jason Katims e Sarah Watson (ambos de “Parenthood”), sua trama se passava num hospital high tech, financiado por um bilionário do Vale do Silício (Augustus Prew, da série “The Borgias”), que aplicava o que havia de mais moderno e revolucionário na Medicina para tratar casos complexos, na esperança de que seus médicos pudessem curar sua própria doença rara. O bom elenco incluía Dermot Mulroney (“Sobrenatural: A Origem”), Odette Annable (séries “House” e “Banshee”), Brenda Song (série “Dads”), Reshma Shetty (série “Royal Pains”), Ward Horton (“Annabelle”) e Matthew John Armstrong (série “Heroes”).

“Training Day” foi um fiasco de público e crítica, com 3,4 milhões de telespectadores e míseros 21% de aprovação no Rotten Tomatoes. Mas o final da série se tornou inevitável devido a um fator trágico: a morte inesperada de Bill Paxton, seu protagonista.

Criada por Will Beall (roteirista do fraco “Caça aos Gângsteres”), a série era inspirada pelo filme “Dia de Treinamento” (2001). Paxton tinha o papel equivalente ao que rendeu o Oscar a Denzel Washington, como o policial corrupto que recebe a missão de treinar um novato, um jovem negro idealista, vivido pelo quase estreante Justin Cornwell (visto antes num episódio de “Chicago P.D.”), numa inversão das etnias dos protagonistas do filme. A versão televisiva ainda incluía outros jovens policiais, interpretados por Katrina Law (série “Arrow”) e Drew Van Acker (série “Pretty Little Liars”).

Por fim, “Doubt” foi o grande fiasco da temporada, tirada do ar após a exibição de apenas dois episódios. Os capítulos chegaram a ter média de 4,6 milhões de telespectadores, mas somente 0,66 pontos na demo.

Criação do casal Tony Phelan e Joan Rater (de “Grey’s Anatomy”), “Doubt” era estrelada por Katherine Heigl (também ex-“Grey’s Anatomy”), que interpretava uma advogada impulsiva, atraída por um cliente suspeito de assassinar a própria esposa. O elenco também incluía Steven Pasquale (série “Rescue Me”), Laverne Cox (série “Orange Is the New Black”), Dulé Hill (série “Psych”), Dreama Walker (série “Apartment 23”) e o veterano Elliott Gould (“Onze Homens e um Segredo”).

Comente

Pedro Prado é cinéfilo, fã de séries e quadrinhos, fotógrafo amador e bom amigo da vizinhança.