Diretor revela que título nacional de Star Wars: Os Últimos Jedi está errado

Diretor revela que título nacional de Star Wars: Os Últimos Jedi está errado

 

“Tradução” de títulos parece não ser mesmo o forte da Disney. Depois de mudar completamente o nome do quinto “Piratas do Caribe” para o Brasil e outros países, o estúdio acabou alterando até o sentido do próximo “Star Wars”.

Segundo o diretor do filme, o título nacional de “Star Wars: Os Últimos Jedi” está errado.

Isto porque a tradução de “The Last Jedi” é singular e não plural.

Mas não dá para colocar a culpa exclusivamente nos tradutores nacionais. A corporação mandou o mesmo memorando para a Espanha, França, Itália e Alemanha, que tascaram o plural em seus cartazes.

Só faltou conferir se estava certo.

Em entrevista à ABC News, Rian Johnson revelou que a tradução correta é “O Último Jedi”. No singular. Tipo, ninguém usou o celular, aplicativo, rede social para contatar o responsável pela história, antes de tomar a decisão de mandar gastar uma fortuna em material de marketing com o título errado.

“É tão engraçado, quando as pessoas começaram a perguntar isso, quando o título foi anunciado, porque eu nunca nem tinha considerado essa questão. Parece que, para mim, é o mais… ‘desinteressante’, eu acho”, disse ele, tentando escapar pela tangente, quando perguntado à queima-roupa.

Mas não teve jeito. Depois de perceber que a questão semântica poderia mudar o sentido do título, ele reconheceu. “Olha, na minha cabeça, é no singular”. Pressionado, contou ainda mais: “Quero dizer, eles falam em ‘O Despertar da Força’ sobre o último templo Jedi e que Luke é o último Jedi.”

Pronto. Não só o título é “O Último Jedi” como diz respeito a Luke Skywalker. Esta dúvida também estava na cabeça dos fãs. Ou seja, o primeiro teaser ganha outro sentido com a tradução correta.

Assim, quando Luke diz, na conclusão do teaser, de que “é hora dos Jedi acabarem”, isto agora significa que ele não vai treinar mais ninguém e que a ordem terminará com ele. Imaginem a decepção de Rey… E isto como ponto de partida para o novo filme da saga espacial.

Muda ou não muda tudo?

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna