Escândalos da banda Mötley Crüe vão virar filme da Netflix

Escândalos da banda Mötley Crüe vão virar filme da Netflix

 

A Netflix está desenvolvendo um filme sobre a banda de rock Mötley Crüe. Segundo o site Deadline, o filme será baseado na autobiografia da banda, “The Dirt: Confessions of the World’s Most Notorious Rock Band”, escrita pelo célebre jornalista de rock Neil Strauss em parceria com os próprios membros do grupo: Tommy Lee, Vince Neil, Mick Mars e Nikki Sixx.

O livro relata a ascensão da lendária banda dos anos 1980, que vendeu mais de 100 milhões de discos enquanto seus integrantes levavam ao extremo o modo de vida roqueiro, em situações descontroladas de sexo e drogas, que acabaram-os mais conhecidos por seus excessos do que por sua música e eventualmente levaram à implosão do grupo.

Depois de lotar estádios e protagonizar vídeos escandalosos com mulheres seminuas, os problemas começaram em 1984, quando Vince Neil destruiu seu carro numa colisão frontal e foi acaso de dirigir sob influência de drogas e homicídio – seu passageiro, o baterista da banda Hanoi Rocks Nicholas “Razzle” Dingley, morreu no acidente. Três anos depois, Nikki Sixx sofreu uma overdose de heroína e foi declarado legalmente morto por dois minutos. O paramédico, um fã de Motley Crue, o reanimou, gerando inspiração para o sucesso de 1989 “Kickstart My Heart”. Já Tommy Lee inaugurou o mercado de sex tapes de celebridades, com o vazamento do vídeo de sexo que gravou com sua mulher, a atriz Pamela Anderson em 1998. E isto é só uma pequena mostra das confusões que os integrantes da banda aprontaram, antes e após a separação da banda, que ainda experimentou um retorno em 2005.

O roteiro está sendo escrito por Rich Wilkes (“Triplo X”) e Tom Kapinos (criador das séries “Californication” e “Lucifer”) e a direção está a cargo de Jeff Tremaine, diretor dos filmes da franquia “Jackass”.

Não há previsão para a estreia na plataforma de streaming.

Julie Yorn, Erik Olsen e Allen Kovac permanecem associados ao projeto como produtores.

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna