Diretor de Moonlight publica discurso que tinha preparado e não pôde dizer na confusão do Oscar 2017

Diretor de Moonlight publica discurso que tinha preparado e não pôde dizer na confusão do Oscar 2017

 

O final confuso do Oscar 2017 tirou do diretor Barry Jenkins a oportunidade de fazer seu discurso de agradecimento pela vitória de seu filme, “Moonlight”. Ele tinha o discurso preparado para caso seu filme saísse vencedor da premiação. Mas o funcionário tuiteiro da PwC se atrapalhou, entregou o envelope errado e quem agradeceu o Oscar foram os produtores do filme perdedor, “La La Land”.

Com a correria que aconteceu no palco para corrigir o equívoco, Jenkins não teve chance de poder dizer o que queria, pois não houve o tempo necessário. Mas o texto não foi perdido. O site The Hollywood Reporter cedeu espaço para o diretor publicar o seu discurso original. Nele, Jenkins afirma que ele e o autor original da história, Tarell Alvin McCraney, enxergam-se no protagonista de “Moonlight” e que nunca imaginariam um dia vencer o Oscar.

Leia abaixo a íntegra do discurso que não foi ao ar.

“Tarell e eu somos Chiron. Nós somos aquele menino. E quando você assiste ‘Moonlight’, você não pensa que um menino que cresceu como e onde nós crescemos iria crescer e fazer um produto artístico que venceria um prêmio da Academia. Eu disse isso várias vezes, e o que eu tenho que admitir é que eu coloquei esses limites em mim mesmo, eu neguei esse meu sonho. Não vocês, não outra pessoa – eu.

E então, para qualquer um vendo isso que se vê em nós, que isso seja um símbolo, um reflexo que leve você a se amar. Porque fazer isso pode ser a diferença entre sequer sonhar e, de alguma maneira através da graça da Academia, realizar os sonhos que você nunca se permitiu ter. Muito amor”.

Comente

Pedro Prado é cinéfilo, fã de séries e quadrinhos, fotógrafo amador e bom amigo da vizinhança.