Novo trailer da animação dos Smurfs questiona por que só existe uma Smurfete

Novo trailer da animação dos Smurfs questiona por que só existe uma Smurfete

 

A Sony Pictures divulgou quatro pôsteres em espanhol e um novo trailer, em versões dublada e legendada em português, de “Os Smurfs e a Vila Perdida”. Sem os humanos de carne dos dois filmes anteriores, o vídeo revela os personagens dos quadrinhos de Peyo em seu habitat natural, como um desenho animado, em meio à sua floresta mágica em que florejam plantas coloridas – e aparentemente carnívoras.

A prévia detalha a trama da produção, prometendo aprofundar o mistério da existência de uma única Smurfete no meio de 100 Smurfs masculinos. A resposta virá numa aventura comanda pela própria Smurfete (dublada em inglês pela cantora Demi Lovato) convence um grupo de Smurfs a se aventurar para longe do vilarejo, atravessar a Floresta Proibida, repleta de criaturas mágicas e perigosas, para encontrar uma Vila Perdida, habitada sabe-se lá por quem – ou o quê. Após sair do vilarejo, no entanto, eles passam a ser perseguidos pelo vilão Gargamel (voz de Rainn Wilson, da série “The Office”) e não demoram a ficar em apuros.

Apesar da afirmação do vídeo, Smurfete não foi a única Smurf feminina apresentada na franquia. Além da personagem criada em laboratório como uma arma secreta de Gargamel, já existiram outras “smurfetes” nos quadrinhos, como Sassette e Nanny Smurf. O filme irá apresentar pelo menos uma nova Smurf do sexo feminino: SmurfWillo, que tem cabelos brancos e parece uma Mamãe Smurf. E que será dublada por Julia Roberts (até hoje “Uma Linda Mulher”).

O elenco de vozes ainda inclui Joe Manganiello (“Magic Mike”) como Robusto, Jack McBrayer (série “30 Rock”) como Desastrado, Danny Pudi (série “Community”) como Gênio e Mandy Patinkin (série “Homeland”) como Papai Smurf.

Escrito por Stacey Harman (série “The Goldbergs”) e Pamela Ribon (série “Samantha Who?”), e dirigido por Kelly Asbury (“Shrek 2” e “Gnomeu e Julieta”), “Os Smurfs e A Vila Perdida” chega aos cinemas brasileiros em 6 de abril, um dia antes do lançamento nos EUA.

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna