Jennifer Connelly será vilã na adaptação do mangá Alita: Battle Angel

Jennifer Connelly será vilã na adaptação do mangá Alita: Battle Angel

 

A atriz Jennifer Connelly (“Um Conto do Destino”) entrou no elenco de “Alita: Battle Angel”, a próxima adaptação de mangá/anime com atores americanos, que será dirigida por Robert Rodriguez (“Sin City”). Segundo o site da Variety, ela viverá uma das vilãs do longa. Mas é difícil dizer qual, já que vários nomes foram americanizados.

O filme será estrelado por Rosa Salazar (“Maze Runner: Prova de Fogo”), que viverá o papel-título, e Christoph Waltz (“Django Livre”), um dos personagens com nome americanizado. Outros atores contratados incluem Mahershala Ali (série “Luke Cage”), Jackie Earl Haley (série “Preacher”), Ed Skrein (“Deadpool”), Lana Condor (“X-Men: Apocalipse”) e Keean Johnson (série “Nashville”).

Nos quadrinhos, o cientista cibernético Dr Daisuke Ido resgata o corpo semidestruído de um robô de combate com formas femininas de um lixão. Após recuperá-la, ele descobre que, mesmo sem memórias, Alita demonstra ser uma expert em artes marciais, e passa treiná-la para virar uma caçadora de recompensas.

Criada por Yukito Kishiro em 1990, a história de “Battle Angel Alita” (o título do mangá) vai chegar aos cinemas com produção do cineasta James Cameron (“Avatar”). Ele próprio escreveu a primeira versão do roteiro na década passada. E tinha planos para dirigir o filme, mas perdeu o ímpeto ao mergulhar na megalomania das sequências de “Avatar”, até hoje em processo interminável de desenvolvimento.

As filmagens tem financiamento do estúdio 20th Century Fox com orçamento típico de filme de Cameron (entre US$ 175 e 200 milhões). Ironicamente, “Alita: Battle Angel” deve chegar aos cinemas antes de “Avatar 2”, com um lançamento marcado para o dia 20 de julho de 2018.

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna