Empresa de auditoria assume erro e explica como aconteceu a gafe do Oscar 2017

Empresa de auditoria assume erro e explica como aconteceu a gafe do Oscar 2017

 

A empresa de auditoria que supervisiona a votação do Oscar há 83 anos, voltou a se pronunciar sobre a gafe histórica que levou “La La Land” a ser anunciado por engano como Melhor Filme em vez de “Moonlight”, o grande premiado da noite. Além de assumir a responsabilidade pela “série de erros”, a PricewaterhouseCoopers (PwC) afirmou em nota divulgada na noite de segunda-feira (27/2) que “falhou com a Academia” e que Brian Cullinan, membro da empresa, entregou equivocadamente o envelope da categoria de Melhor Atriz na premiação de Melhor Filme, provocando o caos e o constrangimento que marcou o final do Oscar 2017.

Ao explicar o que aconteceu, a empresa também pediu desculpas às equipes de “La La Land”, “Moonlight”, Warren Beatty, Faye Dunaway, ao apresentador Jimmy Kimmel, à ABC e à Academia.

O protocolo seguido pela empresa durante o Oscar visava tornar o sistema à prova de erros, mas também foi ele que possibilitou o grande erro da noite. Isto porque a PwC mantém na premiação envelopes duplicados com o resultado dos vencedores, que ficam com dois funcionários, posicionados um em cada lado do palco, nas coxias. Um é entregue aos apresentadores, enquanto o outro serve para conferir os resultados depois do anúncio, no caso de algo dar errado. Segundo o comunicado, Cullinan entregou a Beatty o envelope errado, em que constava o prêmio da categoria de Melhor Atriz, dado momentos antes a Emma Stone, de “La La Land”. Ao perceber o erro, a outra funcionária presente não agiu rapidamente para corrigi-lo. Assim, ao anunciar o vencedor de Melhor Filme, Faye Dunaway, ao lado de Beatty, acabou lendo o nome do filme errado, pelo qual Emma Stone venceu seu Oscar.

O comunicado confirma que Emma Stone não teve nada a ver com a confusão. Ela precisou se defender em entrevistas, dizendo que jamais largou seu envelope e não sabia como outro envelope com o resultado de sua vitória tinha parado nas mãos de Warren Beatty. Agora está explicado.

Comente

Pedro Prado é cinéfilo, fã de séries e quadrinhos, fotógrafo amador e bom amigo da vizinhança.