Elle vence o César 2017 e é o Melhor Filme francês do ano

Elle vence o César 2017 e é o Melhor Filme francês do ano

 

O suspense “Elle” foi o grande vencedor do César 2017, a principal premiação do cinema francês, equivalente ao Oscar americano. Além de vencer como Melhor Filme do ano, o longa do holandês Paul Verhoeven rendeu o César de Melhor Atriz para sua estrela, Isabelle Huppert, em cerimônia realizada na noite desta sexta-feira (24), em Paris.

Verhoeven, porém, não levou o troféu de Melhor Diretor. Ele foi superado pelo jovem canadense Xavier Dolan, que venceu por “É Apenas o Fim do Mundo”, drama que divide opiniões da crítica. O cineasta, por sinal, venceu dois César. O segundo foi pela edição do filme.

“É Apenas o Fim do Mundo” também premiou o desempenho Gaspard Ulliel com o César de Melhor Ator.

Outro filme que também recebeu três troféus foi “Divines”, distribuído pela Netflix: venceu na categoria de Melhor Atriz Coadjuvante (Deborah Lukumuena), Revelação Feminina (Oulaya Amamra) e Melhor Filme de Estreia para a diretora Houda Benyamina, que já tinha sido premiada com a Câmera de Ouro (Melhor Filme de Estreia) no Festival de Cannes.

Também repetindo Cannes, o Vencedor da Palma de Ouro, o britânico “Eu, Daniel Blake”, de Ken Loach, ficou com a estatueta de Melhor Filme Estrangeiro, superando o brasileiro “Aquarius”.

Favorito na premiação, o drama “Frantz”, de François Ozon, acabou decepcionando. Indicado a 11 troféus, o longa só venceu um: de Melhor Fotografia. Perdeu até como Roteiro Adaptado, categoria que foi vencida, de forma surpreendente, por “Minha Vida de Abobrinha”, premiada também como Melhor Animação.

Confira abaixo a lista completa dos premiados.

Vencedores do César 2017

Melhor Filme
“Elle”

Melhor Direção
Xavier Dolan (“É Apenas o Fim do Mundo”)

Melhor Atriz
Isabelle Huppert (“Elle”)

Melhor Ator
Gaspard Ulliel (“É Apenas o Fim do Mundo”)

Melhor Atriz Coadjuvante
Déborah Lukumuena (“Divines”)

Melhor Ator Coadjuvante
James Thierrée “Chocolate”

Melhor Revelação Feminina
Oulaya Amamra (“Divines”)

Melhor Revelação Masculina
Niels Schneider (“Diamant Noir”)

Melhor Roteiro Original
Raoul Ruiz (“O Efeito Aquático”)

Melhor Roteiro Adaptado
Céline Sciamma (“Minha Vida de Abobrinha”)

Melhor Filme Estrangeiro
“Eu, Daniel Blake” (Reino Unido)

Melhor Filme de Estreia
“Divines”

Melhor Animação
“Minha Vida de Abobrinha”

Melhor Trilha Sonora
Ibrahim Maalouf (“Dans les Forêts de Sibérie”)

Melhor Fotografia
Pascal Marti (“Frantz”)

Melhor Edição
Xavier Dolan (“É Apenas o Fim do Mundo”)

Melhor Figurino
Anaïs Romand (“La Danseuse”)

Melhor Cenografia
Jérémie D. Lignol (“Chocolate”)

Melhor Som
Marc Engels, Fred Demolder, Sylvain Réty, Jean-Paul Hurier (“L’odyssée”)

Melhor Documentário
“Merci Patron”

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna