Tamo Junto: Besteirol com Sophie Charlotte ganha trailer

Tamo Junto: Besteirol com Sophie Charlotte ganha trailer

 

A Paris Filmes divulgou o trailer de mais um (sim, mais um) besteirol brasileiro, “Tamo Junto”, título genérico como “Vai que Dá Certo”, “Vai que Cola” e, inevitavelmente, “Podia Ser Pior”. Só o diretor Matheus Souza escreveu e dirigiu “Apenas o Fim” (2008) e “Eu Não Faço a Menor Ideia do Que Eu Tô Fazendo Com a Minha Vida” (2012), duas obras de eloquência devidamente atestada pelos títulos.

Assim como as anteriores, a nova comédia também trata de relacionamentos e pessoas perdidas na vida. Dores existenciais da classe média carioca que dominam o gênero, especialmente em sua versão Multishow – veja-se as séries do canal que já viraram filmes.

A comédia marca a estreia do roteirista da série “Vai que Cola” (Leandro Soares) como protagonista. Na trama, ao se separar de uma das atrizes da TV Globo do elenco (Fernanda Souza), ele vai experimentar a vida de solteiro, mas não por muito tempo, porque outra atriz da TV Globo (Sophie Charlotte) cruza seu caminho logo em seguida, e ele rapidamente consegue convencê-la a mudar de planos, mesmo com um casamento marcado, para que ambos possam ter um final feliz de “A Primeira Noite de um Homem” (1967), grande “sacada” do roteiro, com 50 anos de existência. Tudo em clima de muita festa. Porque, claro, a vida é um multishow.

Bom, este é o trailer. O filme deve ter mais história, já que sobram coadjuvantes para este fiapo de enredo, entre eles o próprio diretor e dois integrantes do Porta do Fundos (Fábio Porchat e Antonio Tabet), a outra “força” do humor besteirol brasileiro.

A estreia acontece em 8 de dezembro, no mesmo dia de “O Amor no Divã”, uma semana depois do “O Último Virgem” e duas semanas antes do “esperadíssimo” “Minha Mãe É uma Peça 2”. Grandes obras do cinema brasileiro em 2016.

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna