Governo da Venezuela vai produzir filme e série sobre Hugo Chavez

Governo da Venezuela vai produzir filme e série sobre Hugo Chavez

 

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou que seu governo fará um filme e uma série de televisão sobre a vida de Hugo Chávez em resposta à iniciativa “abusada” da Sony Pictures, que também prepara um programa sobre o ex-“comandante” do país, falecido em 2013.

“Decidimos fazer o filme e a série de Hugo Chávez a partir da terra e do espírito original. Não vai vir uma transnacional para desfigurar o nosso Hugo Chávez”, declarou Maduro, em tom de denúncia e jactação, durante ato oficial transmitido pela televisão pública venezuelana.

Em maio, a Sony Pictures anunciou no Twitter o início das gravações da série televisiva “Hugo Chávez, o Comandante” e divulgou o cartaz promocional com o slogan “o poder da paixão e a paixão pelo poder”, causando revolta, entre outros detalhes, pela escalação do ator colombiano Andrés Parra como Chavez. É que ele interpretou Pablo Escobar numa série sobre a vida do traficante…

O filme chapa branca será dirigido pelo cineasta venezuelano Román Chalbaud e o roteiro está a cargo do escritor Luis Britto García. Os dois fizeram juntos “Zamora: Tierra y Hombres Libres”, cinebiografia de Ezequiel Zamora, comandante da revolução federalista e um dos mais populares líderes venezuelanos do século 19.

O Brasil já teve uma experiência bem sucedida de cinebiografia usada como propaganda política. “Lula, o Filho do Brasil” foi financiado por três empreiteiras “camaradas” durante o governo do próprio homenageado. Melhor que isso, também foi escolhido – e por unanimidade! – pela comissão do Ministério da Cultura do mesmo governo Lula para representar o país no Oscar. Para completar, chegou aos cinemas em 2010, ano de eleição presidencial. Tudo, claro, democraticamente, como costumam dizer.

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna