Legion: Dan Stevens será o filho do Professor X na série derivada dos X-Men

Legion: Dan Stevens será o filho do Professor X na série derivada dos X-Men

 

A série “Legion”, produção do canal pago americano FX derivada do universo dos “X-Men”, definiu seu protagonista: Dan Stevens (série “Downton Abbey”). Ele viverá David Haller, um homem atormentado por vozes e visões que, após anos sendo considerado esquizofrênico, descobre que é um poderoso telepata. Nos quadrinhos, ele é simplesmente o filho do Professor Charles Xavier.

A produção também contratou Aubrey Plaza (série “Parks and Recreation”) e Jean Smart (série “Fargo”). Aubrey viverá Lenny, uma amiga de David que abusa do álcool e das drogas, mas tem total confiança de que, mais cedo ou mais tarde, sua vida irá mudar. Ou seja, uma otimista incorrigível. Já a veterana Jean Smart interpretará Melanie, uma terapeuta ao mesmo tempo carinhosa e exigente, além de muito sagaz e original — algo que demonstra na aplicação de métodos de tratamento nada convencionais.

Eles vão se juntar a Rachel Keller (também de “Fargo”), primeiro nome confirmado no elenco, que viverá, segundo os produtores, “uma determinada e otimista mutante de 20 e poucos anos”, mas não há mais detalhes sobre a personagem nem sobre seus poderes.

A reunião de duas atrizes de “Fargo” na produção não foi mera coincidência. A atração está sendo desenvolvida por Noah Hawley, o criador de “Fargo”, que está escrevendo e irá produzir a adaptação dos quadrinhos da Marvel.

O filho esquizofrênico do Professor X foi criado por Chris Claremont (responsável pelos quadrinhos originais de “X-Men: Dias de um Futuro Esquecido”) em 1985, na revista dos Novos Mutantes. Mas suas histórias só foram aprofundadas na revista “X-Men Legacy”, publicadas entre 2012 e 2014 nos EUA.

“Legion” será a primeira série derivada do universo dos “X-Men” e ainda não tem previsão de estreia.

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna