Annie Awards: “Oscar” da animação consagra Divertida Mente e O Menino e o Mundo

Annie Awards: “Oscar” da animação consagra Divertida Mente e O Menino e o Mundo

 

Maior premiação da animação nos EUA, o Annie Awards, considerado o Oscar dos filmes animados, consagrou “Divertida Mente” em sua 43ª edição, que aconteceu na noite de sábado (6/2) em Los Angeles. Foram, ao todo, 10 prêmios conquistados pela produção da Disney/Pixar, incluindo Melhor Filme, Direção e Roteiro (ambos compartilhados por Pete Docter), além de Melhor Dublador para Phyllis Smith, intérprete da personagem Tristeza. Com a vitória, o longa confirma seu favoritismo absoluto na disputa pelo Oscar da categoria.

O candidato brasileiro, “O Menino e o Mundo”, também foi premiado, considerado a Melhor Animação Independente, superando produções bem mais caras, como seu rival japonês no Oscar, “As Memórias de Marnie”, além de “O Profeta”.

A vitória de “O Menino e o Mundo” realça o trabalho do diretor Alê Abreu como uma das principais animações do ano, além de ampliar seu destaque internacional. O filme foi o primeiro brasileiro a concorrer na categoria.

Vencedores do Annie Awards 2016

Melhor Animação
Divertida Mente

Melhor Animação Independente
O Menino e o Mundo

Melhor Direção
Pete Docter (Divertida Mente)

Melhor Roteiro
Pete Docter e Ronnie Del Carmen (Divertida Mente)

Melhor Dublagem
Phyllis Smith (Divertida Mente)

Melhor Trilha Sonora
Michael Giacchino (Divertida Mente)

Melhor Edição
Kevin Nolting (Divertida Mente)

Melhor Desenho de Produção
Ralph Eggleston (Divertida Mente)

Melhor Desenho de Personagens
Divertida Mente

Melhor Animação de Personagens
Divertida Mente

Melhor Storyboarding
Tony Rosenast (Divertida Mente)

Melhores Efeitos Animados
O Bom Dinossauro

Melhores Efeitos Animados em Filme Live-Action
Vingadores: Era de Ultron

Melhor Animação de Personagens em Filme Live-Action
O Regresso (Urso)

Melhor Animação de Personagens em Filme Live-Action
O Regresso (Urso)

Melhor Série Animada
Os Simpsons

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna