Wagner Moura é Indicado ao Globo de Ouro por Narcos

 

A Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood divulgou nesta quinta (10/12) a lista de indicados ao troféu Globo de Ouro 2016. E uma das grandes novidades da premiação foi a inclusão de Wagner Moura entre os nomeados como Melhor Ator de Série Dramática, por seu papel como o traficante Pablo Escobar em “Narcos”.

Moura irá disputar o troféu com concorrentes de peso, como Jon Hamm (“Mad Men”), Bob Odenkirk (“Better Call Saul”) e Liev Schreiber (“Ray Donovan”), além do também estreante na categoria Rami Malek (“Mr. Robot”). Mas tem, a seu favor, o fato de “Narcos” ter sido lembrada na disputa de Melhor Série de Drama, onde enfrentará o vencedor do Emmy “Game of Thrones” e mais três novidades do prêmio, “Mr. Robot”, “Empire” e “Galavant”.

As duas últimas séries, por sinal, fazem mais barulho do que sentido nesta lista, caindo na velha “problemática” do Globo de Ouro, que, por sua posição no calendário, sempre tenta lançar “novidades”, ao mesmo tempo em que não abre mão das candidaturas mais populares. Este dilema já rendeu premiações absolutamente inócuas, como a precipitação na vitória de “Brooklyn Nine-Nine” como Melhor Série de Comédia em 2014, na metade de sua temporada inicial. Era tão boa que, depois disso, a série nunca mais foi lembrada pelo Globo de Ouro – nem pelo Emmy, Critics’ Choice, etc.

Já a lembrança de Wagner Moura consagra um trabalho que foi muito questionado na Colômbia e no Brasil pelo detalhe do sotaque, mas subestimado pela força de sua interpretação. Ignorando a polêmica, o Globo de Ouro reconheceu a dedicação do ator, que inclusive o levou, nos últimos meses, a se instalar na região em que viveu Escobar, visando aprimorar as peculiaridades da fala local para continuar o show na 2ª temporada de “Narcos”.

Sua inclusão também aumenta a torcida brasileira pela premiação, já que, infelizmente, o Globo de Ouro ignorou “Que Horas Ela Volta?” em sua porção cinematográfica, na disputa de Melhor Filme Estrangeiro. O único candidato latino acabou sendo o chileno “O Clube”, de Pablo Larraín.

Entre as atrizes, a indicação de Lady Gaga por “American Horror Story”, na categoria de Telefilmes ou Minisséries, também tende a reverberar, mas com outro sentido, pelo apelo da cantora no circo das celebridades. O reconhecimento a seu possível talento dramático parece um risco calculado, visando atrair maior audiência à transmissão do prêmio, ainda que torne ainda mais tênue a credibilidade da premiação, conferida por cerca de 70 jornalistas paparicados pela indústria do entrenimento.

Com o que lhe resta de reputação, a disputa de cinema materializa uma liderança de “Carol”, que obteve cinco indicações. Mas, curiosamente, o filme de Todd Haynes (também indicado como Melhor Diretor) só poderá levar no máximo quatro estatuetas, já que suas duas protagonistas, Cate Blanchett e Rooney Mara, concorrem entre si.

O dado curioso é que, apesar de vencedor o Festival de Cannes como Melhor Atriz, Rooney Mara tem sido listada como Coadjuvante nas disputas oficiais de Hollywood, inclusive no prêmio do Sindicato dos Atores (SAG Awards). Esta confusão de categorias é uma das características do Globo de Ouro, que não leva em consideração a forma como outras premiações procedem. Isto pode ser conferido até na competição televisiva, que lista a série “Orange Is the New Black” como comédia, apesar de o Emmy ter definido oficialmente a produção como drama.

Com quatro indicações, “A Grande Aposta” também renderá disputa entre seu elenco. Christian Bale e Steve Carell entraram, de forma surpreendente, na lista de Melhor Ator de Comédia. A categoria, por sinal, é bem engraçada. Afinal, além dos astros do drama financeiro, inclui ainda Matt Damon pela sci-fi “Perdido em Marte”, Mark Ruffalo pelo drama indie “Sentimentos que Curam” e, por incrível que pareça, Al Pacino por “Não Olhe para Trás”, um filme que é realmente comédia (e musical). Por estas e outras, ver o Globo de Ouro sempre é divertido.

Por outro lado, é notável a ausência do elenco de “Spotlight” (destacado na disputa do Sindicato dos Atores) nas categorias de Ator e Coadjuvantes de Drama. Assim como a de Johnny Depp, por “Aliança do Crime”. Talvez devessem tê-lo incluído como Ator de “Comédia”, no lugar de Al Pacino.

Mesmo sem menções a seu superelenco, “Spotlight”, que venceu o Gotham Awards e lidera as seleções de fim de ano da crítica americana, acabou lembrado na disputa de Melhor Filme, contra “Carol”, a superprodução “O Regresso”, o surpreendente suspense indie “O Quarto de Jack”, que venceu o Festival de Toronto, e o blockbuster “Mad Max: Estrada da Fúria”, que combina as duas qualidades preferidas do Globo de Ouro: novidade (é de fato inovador) e popularidade (maior bilheteria entre todos os indicados).

A cerimônia será realizada no dia 10 de janeiro, em Los Angeles, com apresentação do comediante britânico Ricky Gervais e transmissão ao vivo no Brasil pelo canal pago TNT.

[symple_toggle title=”Clique aqui para conferir a lista completa dos indicados ao Globo de Ouro 2015″ state=”closed”]

Indicados ao Globo de Ouro 2015

[symple_column size=”one-half” position=”first” fade_in=”false”]

CINEMA

MELHOR FILME – DRAMA
O Regresso
Spotlight – Segredos Revelados
Carol
O Quarto de Jack
Mad Max: Estrada da Fúria

MELHOR FILME – COMÉDIA OU MUSICAL
Joy: O Nome do Sucesso
Perdido em Marte
Descompensada
A Grande Aposta
A Espiã que Sabia de Menos

MELHOR DIRETOR
Alejandro González Iñarritu (O Regresso)
Ridley Scott (Perdido em Marte)
Todd Haynes (Carol)
George Miller (Mad Max)
Tom McCarthy (Spotlight – Segredos Revelados)

MELHOR ATOR – DRAMA
Bryan Cranston (Trumbo: Lista Negra)
Leonardo DiCaprio (O Regresso)
Michael Fassbender (Steve Jobs)
Eddie Redmayne (A Garota Dinamarquesa)
Will Smith (Concussion)

MELHOR ATRIZ – DRAMA
Cate Blanchett (Carol)
Rooney Mara (Carol)
Brie Larson (O Quarto de Jack)
Saoirse Ronan (Brooklyn)
Alicia Vikander (A Garota Dinamarquesa)

MELHOR ATOR – COMÉDIA OU MUSICAL
Christian Bale (A Grande Aposta)
Steve Carell (A Grande Aposta)
Matt Damon (Perdido em Marte)
Al Pacino (Não Olhe Para Trás)
Mark Ruffalo (Sentimentos que Curam)

MELHOR ATRIZ – COMÉDIA OU MUSICAL
Jennifer Lawrence (Joy: O Nome do Sucesso)
Amy Schumer (Descompensada)
Melissa McCarthy (A Espiã que Sabia de Menos)
Maggie Smith (A Senhora da Van)
Lily Tomlin (Grandma)

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Idris Elba (Beasts of No Nation)
Mark Rylance (Ponte dos Espiões)
Michael Shannon (99 Homes)
Sylvester Stallone (Creed)
Paul Dano (Love & Mercy)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Jennifer Jason Leigh (Os Oito Odiados)
Jane Fonda (Youth)
Alicia Vikander (Ex_Machina)
Helen Mirren (Trumbo: Lista Negra)
Kate Winslet (Steve Jobs)

MELHOR ANIMAÇÃO
Anomalisa
O Bom Dinossauro
Divertida Mente
Peanuts
Shaun, o Carneiro

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
Son of Saul (Hungria)
O Clube (Chile)
Cinco Graças (Turquia/França)
O Novíssimo Testamento (Bélgica/França)
O Esgrimista (Finlândia/Alemanha)

MELHOR ROTEIRO
Quentin Tarantino (Os Oito Odiados)
Tom Mccarthy e Josh Singer (Spotlight – Segredos Revelados)
Charles Randolph e Adam Mckay (A Grande Aposta)
Emma Donoghue (O Quarto de Jack)
Aaron Sorkin (Steve Jobs)

MELHOR TRILHA SONORA
Carter Burwell (Carol)
Alexandre Desplat (A Garota Dinamarquesa)
Ennio Morricone (Os Oito Odiados)
Daniel Pemberton (Steve Jobs)
Ryuichi Sakamoto e Alva Noto (O Regresso)

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
Writing’s On The Wall (007 Contra Spectre)
Simple Song #3 (Youth)
See You Again (Velozes & Furiosos 7)
One Kind of Love (Love and Mercy)
Love Me Like You Do (Cinquenta Tons de Cinza)

[/symple_column]

[symple_column size=”one-half” position=”last” fade_in=”false”]

TELEVISÃO

MELHOR SÉRIE – DRAMA
Empire
Game of Thrones
Mr. Robot
Narcos
Outlander

MELHOR SÉRIE – COMÉDIA OU MUSICAL
Orange is The New Black
Silicon Valley
Transparent
Casual
Mozart in the Jungle
Veep

MELHOR MINISSÉRIE OU TELEFILME
American Crime
American Horror Story
Flesh & Bone
Wolf Hall
Fargo

MELHOR ATOR – DRAMA
Liev Schreiber (Ray Donovan)
Jon Hamm (Mad Men)
Rami Malek (Mr. Robot)
Wagner Moura (Narcos)
Bob Odenkirk (Better Call Saul)

MELHOR ATRIZ – DRAMA
Robin Wright (House of Cards)
Viola Davis (How To Get Away With Murder)
Caitriona Balfe (Outlander)
Eva Green (Penny Dreadful)
Taraji P. Henson (Empire)

MELHOR ATOR – COMÉDIA OU MUSICAL
Jeffrey Tambor (Transparent)
Aziz Ansari (Master Of None)
Gael García Bernal (Mozart In The Jungle)
Rob Lowe (The Grinder)
Patrick Stewart (Blunt Talk)

MELHOR ATRIZ – COMÉDIA OU MUSICAL
Gina Rodriguez (Jane The Virgin)
Julia Louis-Dreyfus (Veep)
Rachel Bloom (Crazy Ex-Girlfriend)
Jamie Lee Curtis (Scream Queens)
Lily Tomlin (Grace and Frankie)

MELHOR ATOR – MINISSÉRIE OU TELEFILME
Oscar Isaac (Show Me a Hero)
Patrick Wilson (Fargo)
Idris Elba (Luther)
David Oyelowo (Nightingale)
Mark Rylance (Wolf Hall)

MELHOR ATRIZ – MINISSÉRIE OU TELEFILME
Queen Latifah (Bessie)
Lady Gaga (American Horror Story: Hotel)
Sarah Hay (Flesh & Bone)
Felicity Huffman (American Crime)
Kirsten Dunst (Fargo)

MELHOR ATOR COADJUVANTE – SÉRIE/MINISSÉRIE OU TELEFILME
Alan Cumming (The Good Wife)
Damian Lewis (Wolf Hall)
Ben Mendelsohn (Bloodline)
Tobias Menzies (Outlander)
Christian Slater (Mr. Robot)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE – SÉRIE/MINISSÉRIE OU TELEFILME
Joanne Froggatt (Downton Abbey)
Uzo Aduba (Orange is The New Black)
Regina King (American Crime)
Judith Light (Transparent)
Maura Tierney (The Affair)

[/symple_column][/symple_toggle]

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna