No Coração do Mar naugraga e Jogos Vorazes  lidera bilheteria dos EUA pela quarta semana

No Coração do Mar naugraga e Jogos Vorazes lidera bilheteria dos EUA pela quarta semana

 

“Jogos Vorazes: A Esperança — O Final” manteve a liderança das bilheterias norte-americanas pela quarta semana consecutiva, façanha realizada por apenas outro filme em 2015, “Velozes & Furiosos 7”. Dentro da franquia “Jogos Vorazes”, apenas o primeiro filme ficou tanto tempo no topo da arrecadação quanto este final da saga.

Apesar disso, o novo longa da Lionsgate vem registrando a pior bilheteria mundial de toda a franquia, chegando a 564,5 milhões num ponto em que o filme anterior já tinha superado os US$ 600 milhões (e sem estrear na China). O contraste entre a liderança no ranking e o baixo faturamento, na verdade, joga holofotes sobre o fraco desempenho de seus filmes concorrentes.

Única grande estreia da semana, o épico marítimo “No Coração do Mar” naufragou nas salas americanas, rendendo apenas US$ 11 milhões. O valor é um desastre para as contas da Warner Bros., que gastou US$ 100 milhões só na produção – estima-se que o marketing liquefez quantia similar. Trata-se, também, do pior desempenho de um filme de Ron Howard (“O Código Da Vinci”) e seu segundo fracasso consecutivo estrelado por Chris Hemsworth (“Thor”). “Rush”, o filme anterior, ao menos fez sucesso entre a crítica.

A Warner passa por um verdadeiro tsunami em 2015, colecionando fiascos que colocam seu funcionamento em risco. Entre os desastres que o estúdio lançou neste ano, o prejuízo causado por “O Agente da U.N.C.L.E.”, “O Destino de Júpiter” e “Peter Pan” poderiam falir uma empresa de porte inferior.

“Nós apoiamos o Ron e a sua visão da história”, defendeu Jeff Goldstein, vice-presidente de distribuição da Warner Bros., em entrevista ao site The Hollywood Reporter. “Acreditamos nele. É um cineasta incrível. Mas alguns filmes funcionam e outros, infelizmente, não.”

A bilheteria do fim de semana foi tão fraca que, mesmo decepcionando, “No Coração do Mar” ficou em 2º lugar, empurrando o antigo dono da posição, o terrir natalino “Krampus”, para o extremo do Top 5. O ranking também registrou uma inversão entre o 3º e o 4º lugares, com a subida da animação “O Bom Dinossauro” e a descida do drama de box “Creed”.

[symple_toggle title=”Clique aqui para conferir as 10 maiores bilheterias do fim de semana nos EUA ” state=”closed”]

BILHETERIA: TOP 10 EUA

[symple_column size=”one-half” position=”first” fade_in=”false”]

1. Jogos Vorazes: A Esperança – O Final
Fim de semana: US$ 11,3 milhões
Total EUA: US$ 244,4 milhões
Total Mundo: US$ 564,5 milhões

2. No Coração do Mar
Fim de semana: US$ 11 milhões
Total EUA: US$ 11 milhões
Total Mundo: US$ 50,4 milhões

3. O Bom Dinossauro
Fim de semana: US$ 10,1 milhões
Total EUA: US$ 89,6 milhões
Total Mundo: US$ 167,8 milhões

4. Creed: Nascido para Lutar
Fim de semana: US$ 10,4 milhões
Total EUA: US$ 79,3 milhões
Total Mundo: US$ 84,6 milhões

5. Krampus – O Terror do Natal
Fim de semana: US$ 8 milhões
Total EUA: US$ 28,1 milhões
Total Mundo: US$ 36,9 milhões

[/symple_column]

[symple_column size=”one-half” position=”last” fade_in=”false”]

6. 007 Contra Spectre
Fim de semana: US$ 4 milhões
Total EUA: US$ 190,7 milhões
Total Mundo: US$ 820,5 milhões

7. Sexo, Drogas e Jingle Bells
Fim de semana: US$ 3,9 milhões
Total EUA: US$ 38,2 milhões
Total Mundo: US$ 40,8 milhões

8. Snoopy & Charlie Brown – Peanuts, O Filme
Fim de semana: US$ 2,6 milhões
Total EUA: US$ 124,9 milhões
Total Mundo: US$ 141,5 milhões

9. Spotlight
Fim de semana: US$ 2,5 milhões
Total EUA: US$ 20,3 milhões
Total Mundo: US$ 20,3 milhões

10. Brooklyn
Fim de semana: US$ 1,9 milhão
Total EUA: US$ 14,3 milhões
Total Mundo: US$ 14,3 milhões

[/symple_column]

[/symple_toggle]

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna