Ator de Deuses do Egito detona filme e o racismo de Hollywood

Ator de Deuses do Egito detona filme e o racismo de Hollywood

O ator Chadwick Boseman (“James Brown”), que vai interpretar o Pantera Negra nos filmes da Marvel e está no elenco de “Deuses do Egito”, colocou mais lenha na fogueira desta produção. Envolvido em polêmica desde a divulgação de seu primeiro trailer, “Deuses do Egito” se passa no Egito antigo, mas é estrelado por diversos atores loiros. A controvérsia ganhou tamanha proporção que o estúdio Lionsgate e o diretor Alex Proyas divulgarem um comunicado em que pedem desculpas.

Em entrevista à revista GQ, Boseman revelou que ficou feliz pelos protestos do público, contando que também ficou pasmo quando leu o roteiro. Na trama, ele interpreta o deus Thoth e é um dos poucos atores negros em cena.

“Eu geralmente tento me manter fora das controvérsias da imprensa, mas alguns amigos me disseram: ‘Ei… Você precisa dar uma olhada nisso’”, disse, sobre a repercussão do trailer. “Quando me abordaram com o roteiro do filme, eu rezei para que essa polêmica acontecesse. E eu sou grato que aconteceu, porque, na verdade, eu concordo com isso”.

Ele justifica sua participação no filme como forma de mostrar que a linguagem escrita e a matemática foi criada por um negro. “Eu topei fazer o filme porque assim você iria ver alguém de ascendência africana interpretando Tot, o pai da matemática, astronomia, criador dos papiros e Deus da sabedoria. E no filme, eu realmente supero os outros Deuses, literal e figurativamente. Mas, sim, as pessoas não fazem filmes de US$ 140 milhões estrelados por negros e pardos”, afirmou.

Em seu pedido oficial de desculpas, a Lionsgate fez um mea culpa. “Nós reconhecemos que é nossa responsabilidade ajudar a garantir que as decisões de elenco reflitam a diversidade e a cultura dos períodos retratados. Neste caso, nós não conseguimos fazer jus aos nossos próprios padrões de sensibilidade e diversidade, pelo qual pedimos sinceras desculpas. A Lionsgate está profundamente empenhada em fazer filmes que refletem a diversidade das nossas audiências. Na próxima, faremos melhor”.

“Deuses do Egito” estreia em 25 de Fevereiro no Brasil, um dia antes do lançamento nos EUA.

Comente

Wilson Vianna é jornalista, cinéfilo e fã de séries, mas se diverte mesmo é com celebridades que se levam a sério.

17 Comments

  1. Não detonou nada, ele apenas disse a verdade, pq infelizmente é isso que acontece em toda parte, simplesmente excluem os negros de suas próprias histórias e culturas e incomoda os manda chuvas quando a gente aponta o erro né? Não deixaremos mais nada passar! 😉 :*

  2. Eu como Atriz estou cansada de não ver Negros nas produções seja la fora ou aqui no Brasil, Tv record também fez um Egito Branco, as pessoas se apropriam da nossa cultura Negra, depois querem nos tirar , por aqui não queremos fazer personagens somente de favelados, bandidos, empregadas, mas nem isso mas nos colocam, a favela da globo nos dias de hoje só tem olhos claros, daqui a pouco nem mais novelas de escravos vamos fazer, nos comerciais sempre aparecemos mais como figurantes, ou seja a melhor forma de acabar com isso é boicotar, não me vejo não consumo.

  3. Nossa, é verdade, Taty Godoy!

    Eu tenho crises de vergonha alheia quando vejo essa novela da TV record.

    Figurino tosco, atores brancos?

    (???? cara, posso até entender que não coloquem todo o elenco com atores 100% negros – mulatos de diversos graus, por exemplo.

    Mas com certeza se a gente digita “protestos no Egito” veremos pessoas com diversos tons de chocolate… e definitivamente não vejo o tom “chocolate branco” destoando no meio daquele pessoal)

  4. Egito era uma civilização negra, 99% dos hierográficos mostram negros, 1% mostra semitas que nem brancos eram,parece os atuais índios a cor também.

  5. Não existe prova nenhuma de que o Egito era negro no sentido de que falam, até porque a África não é totalmente negra. Provavelmente eles tinham um pouco de tudo, negros inclusive, até pelo Sudão ao sul. A questão da representação do Egito, eurpeizado na cultura pop, é importante, mas escalar um elenco todo negro seria tão inexato quanto um todo branco.

  6. Você já olhou pras figuras ou esculturas? Você não consegue notar os traços negros?

  7. Eu não vejo necessidade de serem escolhidos atores negros ou pardos…estamos falando de um filme e não de um documentário… Povo devia preocupar mais é com a qualidade do filme..se os atores brancos ou negros irão produzir um filme a altura da historia que esta sendo contada…

  8. Ivonete Pereira Tavares - 10 de dezembro de 2015

    Não é de hoje que os filmes hollywoodianos se apropriam das historias africanas. O resto são cópias e tentativas de afirmações do branqueamento.
    Não aceitam que o negro sempre esteve no topo do mundo. Para enfraquecer ainda mais dividiram a Africa como uma colcha de retalhos colocando povos em conflitos permanentes para que se exterminassem.

  9. “Neste caso, nós não conseguimos fazer jus aos nossos próprios padrões de sensibilidade e diversidade, pelo qual pedimos sinceras desculpas. ”

    E pra bom entendedor das entrelinhas: “Só não esperem que façamos um filme estrelado por negros daqui pra frente, pois continuaremos seguindo o padrão normativo branco/europeu”

  10. O Egito era um dos únicos países da África Mediterrânea que não era branco nem mesmo antes da Invasão Árabe, por sua proximidade com os paises do Oriente Médio.
    De fato a população não era totalmente negra, até porque vários nobres que tomaram o poder eram brancos, mas a sua maioria era. E quando digo negro, não estou me referindo apenas ao tom de pele muito escuro como de alguns países da África Subsaariana, mas também de pardos e qualquer outro tom de pele escuro que passe do branco.

    A história ainda não chegou a um veredito da etnia exata desse povo, mas sabe-se sim que não eram brancos, principalmente em sua maioria, como retratado no filme. Além de que os deuses de uma população reflete essa população. Uma população negra não iria ter apenas 1 deus negro enquanto os outros são brancos. Assim como “nosso” deus não é asiático, os deuses indígenas não são europeus, e assim em diante.

  11. Elton Teles Oliveira - 11 de dezembro de 2015

    Daí só colocar brancos tem mais ”lógica”,não é isso?

  12. André Oliveira - 14 de dezembro de 2015

    Bom, honestamente acho que não há um contrato que implique (ou imponha) que uma produção tenha que seguir fielmente certos padrões para este ou aquele filme. Esta produção é só mais uma entre tantas que não vai ser seguida uma lógica de etnia local. Lembrem-se de outros tantos filmes que tratam sobre o Egito. Exodus de 2014, O Egipcio de 1954, A Múmia e o Retorno da Múmia (O escorpião Rei também), Cleópatra de 1963… salvo engano, uma das poucas produções que vi que seguia certa lógica etnica foi a animação O príncipe do Egito de 1998.
    E sabem como se resolve a briga de atores e atrizes negras (e das pessoas de bom senso que pedem maior protagonismo negro)? Simples, NÃO VÁ PARA O CINEMA ASSISTIR!!! Não dar audiência, não fazer lobby, etc.
    Desta forma, haverá mais interesse econômico envolvido que farão as grandes produtoras repensarem esta questão.

  13. Só não esqueça que o termo “mulato” vem de MULA. Aprendi isso com uma grande negra e perguntei a ela: que termo usar, então? E ela: MISCIGENADO. É isso aí!

  14. Alexandre o grande conquistou o Egito sendo assim os Macedônicos que são Brancos governavam o Egito, a famosa Cleopatra IV era Branca, pesquisem e vão confirmar.

    Vários personagens Brancos ficaram Negros no cinema para agradar a massa que se apropria da cultura do Brancos, vou dar exemplo: Nick Fury, Homem Tocha, Lanterna Verde….

    Outro exemplo, todos conhecem os Gregos e o personagem Hércules, então quem viveu ele foi um Negro o The Rock, cadê que vocês falam sobre isso também.

  15. Rafael, Alexandre também conquistou parte da Ásia e nem por isso os Persas (hoje, iraquianos) viraram loiros. Não é assim. Os governantes egípcios – e não o povo – é que tiveram influência macedônica, mas numa mestiçagem iniciada entre o casamento do primeiro Ptolomeu grego e a herdeira egípcia (negra) ao trono. Além disso, Cleopatra, descendente de Ptolomeu, só era branca em Hollywood. Na arte da Renascença, ela era retratada como tendo pele escura. Sobre o outro lado da moeda, sempre apontamos incongruências. Ontem mesmo, escrevi um texto sobre os problemas raciais nas adaptações de quadrinhos da DC Comics na TV. Ou seja, falamos sobre isso também. abs.

  16. interessante, representar um egito negro e inexato, mas um branco europeizado ta tudo bem?
    Bons argumentos.

  17. Pablo Soares - 23 de julho de 2016

    Ivonete Pereira Tavares,
    Vc esta equivocada, a África sempre foi dividida. Usar o termo povo africano e um erro o termo correto e povos africanos, os europeus quando chegaram a África, encontraram varias etnias africanas e esses povos eram inimigos a séculos, não foi os europeus que separaram eles, na realidade os europeus juntaram esses grupos após conquistados e colocaram eles para viverem juntos, foi ai que ocorreu o problema, os conquistadores europeus foram embora e esses grupos entraram em conflito direto, pois que viviam juntos e se odiavam, com isso temos guerras intermináveis entre facções dentro desses países, ambos lutando por poder e ódio gerado por séculos de conflitos.
    Pablo Soares (Historiador e Pesquisador)

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.