Tom Cruise é sondado para estrelar o reboot de A Múmia

Tom Cruise é sondado para estrelar o reboot de A Múmia

 

A Universal Pictures está ambicionando um grande elenco para relançar seus monstros clássicos no cinema. Após o nome de Angelina Jolie circular o remake de “A Noiva de Frankenstein”, o site Variety revela que Tom Cruise (“Missão Impossível”) está sendo sondado para estrelar o novo “A Múmia”.

O principal problema para a participação do astro está em sua agenda lotada. Ele está atualmente filmando “Jack Reacher: Never Go Back” e em agosto começa a rodar o sexto “Missão Impossível”. Isto deixa uma pequena brecha para as filmagens de “A Múmia”, que ocuparia o espaço reservado para “Luna Park”, sci-fi dirigida por Doug Liman, adiada para 2017 após o cineasta assumir o filme do super-herói “Gambit”.

O reboot de “A Múmia” pretende abrir um novo universo compartilhado para os monstros do estúdio, dando às diversas criaturas góticas dos clássicos de terror um tratamento semelhante ao dos super-heróis da Marvel, com histórias conectadas e personagens que se relacionam entre filmes diferentes.

Os roteiristas Alex Kurtzman (franquia “Star Trek”) e Chris Morgan (franquia “Velozes & Furiosos”) foram contratados para comandar o projeto, levando adiante uma reinvenção do catálogo de monstros da Universal, que inclui também Drácula, Lobisomem, o monstro de Frankenstein, o Fantasma da Ópera, o Homem Invisível, o Monstro da Lagoa Negra e Mr. Hyde (de “O Médico e o Monstro”).

Na verdade, o encontro de criaturas já é uma tradição na Universal, uma vez que o estúdio já produziu filmes como “Frankenstein Encontra o Lobisomem” (1943) e “Abbott e Costello às Voltas com Fantasmas” (1948). Mais recentemente, o filme “Van Helsing” (2004) mostrou Drácula, Lobisomem, Mr. Hyde e Frankenstein.

“A Múmia” terá direção do próprio Kurtzman, que antes só dirigiu o drama “Bem Vindo à Vida” (2012). O roteiro foi escrito por Jon Spaihts (“Prometheus”) e a estreia está prevista para março de 2017.

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna