Quarteto Fantástico 2 some do calendário de lançamentos da Fox

Quarteto Fantástico 2 some do calendário de lançamentos da Fox

 

O estúdio 20th Century Fox tirou a continuação do filme “Quarteto Fantástico” de seu cronograma de lançamentos para 2017. A ausência não foi anunciada nem precedida por comunicado. Ao contrário, mesmo após o desempenho pífio nas bilheterias, representantes do estúdio davam a entender que o investimento na franquia seria mantido, assegurando a produção de pelo menos uma continuação.

A estreia da sequência chegou a ser marcada para 9 de junho de 2017, mas agora não há mais previsão para a franquia voltar aos cinemas.

Marcado por problemas de bastidores, com rumores de problemas na direção de Josh Trank e interferência do estúdio, a nova versão de “Quarteto Fantástico” estreou este ano para fazer um reboot na saga da primeira família da Marvel, mas arrecadou somente US$ 160 milhões nas bilheterias mundiais, tornando-se o maior fracasso da era moderna dos filmes de super-heróis.

Com a desistência da Fox, o futuro de “Quarteto Fantástico” se tornou indefinido. Os personagens devem passar uma longa temporada no limbo, para que o público esqueça o que foi feito com eles no cinema, saindo apenas num novo reboot, com um novo elenco – o terceiro. Mas esta espera tende a ser tão demorada que a Fox pode considerar entrar em um acordo com a Marvel, como fez a Sony, diante de problema bem menor com a franquia do Homem-Aranha.

“Quarteto Fantástico” pode até virar série, como aconteceu com o “Demolidor”, que fracassou no cinema, em produção da mesma Fox. Considerando-se incapaz de produzir um novo filme do herói, o estúdio deixou os direitos do personagem voltarem para a Marvel, que relançou o personagem numa série. A atração se tornou o maior sucesso do serviço de streaming Netflix.

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna