Mostra de São Paulo premia filme islandês

 

A 39ª edição da Mostra de São Paulo premiou o drama “Pardais”, do islandês Runar Rúnarsson, com o troféu Bandeira Paulista de Melhor Filme Internacional. Vencedora também do prêmio de Melhor Roteiro, a história da relação de um menino com seu pai distante já havia vencido anteriormente os festivais de San Sebastian e Varsóvia.

O júri internacional — formado pela atriz britânica Geraldine Chaplin, pelo diretor e produtor espanhol Luís Miñarro, pelo produtor francês Nathanaël Karmitz, pelo diretor brasileiro Paulo Machline e pelo compositor argentino Iván Wyszogrod — ainda concedeu uma menção honrosa à produção polonesa “Carta branca”, de Jacek Lusinski.

Já o público preferiu “Sabor da Vida”, da japonesa Naomi Kawase, sobre romance, culinária e doença, como Melhor Filme Internacional. Além deste, a votação popular também consagrou “Tudo que Aprendemos Juntos”, de Sérgio Machado, como Melhor Filme Nacional. Em seu agradecimento pelo prêmio, Machado se declarou cinéfilo da Mostra: “A minha formação de cinema foi praticamente toda na Mostra de SP. Pra mim, é uma alegria ganhar um prêmio aqui e ainda por cima o de público”.

Entre os documentários, foram eleitos “Pixadores”, do finlandês Amir Escandari, e o brasileiro “Monstros do Ringue”, de Marc Dourdin.

A Mostra também outorgou o prêmio Juventude, escolhido pelos jovens, que premiou “Beatles”, do norueguês Peter Flinth, e o brasileiro “Califórnia”, de Marina Person.

Por fim, a crítica deu seu prêmio para o italiano “Os Campos Voltarão”, de Ermanno Olimi, e o brasileiro “Aspirantes”, de Ives Rosenfeld.

Vencedores da Mostra de São Paulo 2015

Prêmio do Júri

Melhor Filme
“Pardais”, de Rúnar Rúnarsson (Islândia, Dinamarca, Croácia)
Menção Honrosa
“Carta Branca”, de Jacek Lusinski (Polônia)

Prêmio do Público

Melhor Ficção Internacional
“Sabor da Vida”, de Naomi Kawase(Japão, França, Alemanha)
Melhor Ficção Nacional
“Tudo que Aprendemos Juntos”, de Sérgio Machado (Brasil)
Melhor Documentário Internacional
“Pixadores”, de Amir Escandari (Finlândia, Dinamarca, Suécia)
Melhor Documentário Nacional
“Monstros do Ringue”, de Marc Dourdin (Brasil)

Prêmio da Crítica

Melhor Filme
“Os Campos Voltarão”, de Ermanno Olmi (Itália)
Melhor Filme Nacional
“Aspirantes”, de Ives Rosenfeld (Brasil)

Prêmio da Associação Autores de Cinema

Melhor Roteiro
“Pardais”, de Rúnar Rúnarsson (Islândia, Dinamarca, Croácia)

Prêmio da Juventude

Melhor Filme Internacional
“Beatles”, de Peter Flinth (Noruega)
Melhor Filme Nacional
“Califórnia”, de Marina Person (Brasil)

Comente

Marcel Plasse é jornalista, participou da geração histórica da revista de música Bizz, editou as primeiras graphic novels lançadas no Brasil, criou a revista Set de cinema, foi crítico na Folha, Estadão e Valor Econômico, escreveu na Playboy, assinou colunas na Superinteressante e DVD News, produziu discos indies e é criador e editor do site Pipoca Moderna